A biografia não-autorizada de Roberto Carlos já é um best-seller. Apesar de ter durarado pouco tempo nas livrarias, o livro que conta a vida do Rei já um dos mais vendidos. A obra foi lançada em dezembro e recebeu críticas do cantor em sua costumeira entrevista de fim de ano. Ele não gostou de partes que se referem à morte da esposa Maria Rita e ao episódio em que machucou a perna quando criança.

No dia 27 de abril, o Rei ganhou a causa sobre o autor do livro, Paulo César de Araújo. Desde então, a procura por Roberto Carlos em Detalhes aumentou, com isso o preço do livro quase dobrou. Antes de toda polêmica, o valor sugerido da biografia era de 60 reais, agora não se acha por menos de cem.

Já foram recolhidos 11 mil exemplares que estavam estocados na Editora Planeta.O resto deverá ser retirado de circulação nos próximos 60 dias.

O programa Pânico na TV leu trechos da obra  revelando que, entre outras manias de Roberto, ele não dá marcha ré no carro.O apresentador Emílio Surita alertou que o livro declarava coisas que podiam acabar com a carreira do cantor.

O que será que o autor conta de tão comprometedor que a gente já não saiba? Não pode ser nada muito pior do que a famosa mania do Rei de usar roupas azuis. Nem deve ser tão embaraçoso quanto as recorrentes imitações, com lugar garantido nos programas humorísticos.

Olhando os resultados da proibição talvez o que a biografia melhor revele seja a vontade do cantor de que ela seja um sucesso.

Sem mais artigos