Cleo Pires, de 30 anos, comentou seu novo trabalho no cinema, a relação com seu pai Fábio Jr. e revelou alguns de seus medos em entrevista para o jornal O Estado de São Paulo, publicada nesta segunda-feira (09).

Ela estará nos cinemas, a partir desta quarta-feira (11), como Ana Terra no filme O Tempo e o Vento, personagem vivida por sua mãe Gloria Pires em 1985, em uma minissérie da TV Globo.

Convidada por Jayme Monjardim para esse papel no filme, a atriz contou que recusou logo de cara, pois não gostava de assistir sua mãe nessa personagem na minissérie, por conta das cenas de estupros e das mortes de índios. Mas o diretor não desistiu de vê-la como Ana Terra: “Só me convenci no dia em que o Murilo Rosa me abriu os olhos, me mostrou que eu estava com uma impressão equivocada da personagem. Ali me dei conta de que aquela repulsa era de infância, de uma proteção louca com a minha mãe. Só aí é que fui ler o roteiro”.

Com a estreia do longa, Cleo diz não temer as comparações com mãe: “Entrei tanto na personagem, ela ficou tão minha, nem pensei sobre isso, na verdade. E mais: tendo a não ler muito as críticas”.

Sobre as cenas de nudez que faz no filme, ela conta: “Acho muito natural a sensualidade no ser humano, adoro coisas sensuais. Ainda mais quando estamos numa história sobre a terra. […] E gosto de ficar pelada (risos). Não tenho muito pudor”.

Além disso, a atriz também comentou sua relação com o pai Fábio Jr. e o padrasto Orlando Morais: “Quando eu era pequena, meu pai não era presente, e o Orlando me acolheu. […] Foi meu referencial de pai, mas meu amor pelo Fábio é gigante e é muito forte a vontade de que a gente possa estar cada vez mais próximo, se entendendo e se aceitando do jeito que cada um é”.

Após o fim de seu relacionamento com João Vicente de Castro, que durou quatro anos, atualmente, Cleo está namorando o ator Rômulo Neto, mais ainda não pensa em casamento: “As relações afetivas me ensinam muito, preciso delas, simplesmente amo me apaixonar e pensar numa vida ao lado de outra pessoa. Mas, ao mesmo tempo, tudo isso me dá muito medo. Acredito que a paixão traz descobertas de você consigo mesma. Tudo vem à tona: inseguranças, defeitos… E isso é complicado para mim. Tenho vontade de sair correndo”.

Sem mais artigos