Ingrid Guimarães

Ingrid Guimarães tem a marca da comediante muito forte em sua carreira. Mas como Tina, um dos destaques da nova novela das 19h, Sangue Bom, ela vai além do riso. Ali, – ao interpretar uma fã decepcionada por seu ídolo Bárbara Ellen (Giulia Gam) e com um latente sentimento de vingança ao culpar a estrela por ter sido abandonada no altar pelo noivo Vitinho (Rodrigo Lopez) que era apaixonado por Ellen – , a atriz ganha uma gama variada de sentidos. Da comédia ao sentimento obsessivo da vingança, Ingrid define sua personagem como “uma personagem cômica mas com motivações trágicas”.

Atualmente em cartaz em São Paulo com a peça Razões Para Ser Bonita, de Neil LaBute, no teatro Shopping Frei Caneca, ela também trata de uma tragédia nada cômica da contemporaneidade: a obsessão por ser belo, a tal ditadura da beleza. Na peça, ela interpreta Steph, uma mulher que não é feia nem bonita, é comum, o que pode ser, hoje em dia, a pior das denominações.

Em entrevista exclusiva para o Virgula Famosos, Ingrid contou um pouco sobre seu papel na novela de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari, sobre a peça em cartaz na capital paulista e a atual crença no corpo perfeito como satisfação existencial.

Virgula Famosos – Você está vivendo um papel diferente como Tina em Sangue Bom? Que características ela tem que te interessa reforçar para a personagem?

Ingrid Guimarães – O texto da Maria Adelaide e do Vincent (Villari) é muito atual e moderno. (Tina) É uma personagem cômica mas com motivações trágicas. Ela carrega vingança, passionalidade, abandono no altar, obsessão.

Tina é um papel diferente do que você está acostumada a fazer na telinha. O que ela tem de especial?

Em uma mesma cena eu choro, faço comédia, tenho instintos de vingança e repito que a vida é bela. Ela tem várias vertentes. É muito interessante, maluca e triste. Delícia de fazer!

O que você acha que ela irá aprontar em nome da vingança contra Bárbara Ellen, ela irá enfrentar Barbara de frente ou vai ser mais falsa?

Só posso adiantar que ela vai trabalhar na casa dela se fingindo de boazinha pra se vingar. É um Nina e Carminha (personagens da novela Avenida Brasil) com humor! (risos)

Indo da TV para o teatro. Você comprou os direitos de Razões Para Ser Bonita, o que te chamou atenção na peça?

O assunto, a temática e os diálogos ácidos e contemporâneos do (Neil) LaBute. A peça é muito atual. Homens e mulheres se identificam. Fala de amor, de estima, de casamento e da obsessão pela imagem, temas muito atuais.

A impressão que temos, no senso comum, é que os belos sempre se dão bem? A peça questiona este pensamento, você pode explicar como?

Os belos se dão bem a princípio mas, ao longo do tempo, beleza não é garantia de sucesso, nem no trabalho nem no amor. Senão tiver algo a mais vira só mais um rostinho bonito. Na peça, a menina linda (Carla, interpretada por Aline Fanju) é super insegura porque acha que os homens só se aproximam dela pela beleza e que não é respeitada no trabalho. Já o homem lindo (Leo, na peça vivido por Marcelo Faria) é tão inseguro de ser casado com uma mulher linda que a trai com uma mais linda e mais jovem.

Como você enxerga esta certa ditatura da beleza, da juventude e da boa forma que se impõe para todos, mas principalmente para pessoas famosas, atores, atrizes. Como você lida com esta cobrança para sempre estar jovem, bonita e saudável?

Acho uma crueldade. Pra quem não tem maturidade para perceber que isto é apenas uma parte do ser humano é uma escravidão. Tenho muito pena desta geração mais nova cheia de opçōes e comparaçōes. Tento não ser escrava das imposições da mídia. Mas quero envelhecer bem e bonita como toda mulher.

Existe um excesso hoje de cobrança para a boa forma, muitas grávidas famosas são colocadas contra a parede se não ficam logo magras depois de terem um filho. Como isto se deu com você quando ficou grávida no meio de uma novela (Caras e Bocas, em 2009)? Você sentiu esta pressão?

Senti e me recusei a dar entrevista sobre isto enquanto estava amamentando. É uma crueldade com a mãe e com a criança. Tenho uma genética magra, e tem muita mulher que tem dificuldade de emagrecer depois, o que é totalmente normal . Essa comparação com as atrizes é totalmente irreal. Por isto criei o programa Mulheres Possíveis (no canal GNT).

Recentemente, uma revista de moda brasileira escreveu um artigo que está na moda o jejum, para ficar magra e bonita. Isto é, ficar no mínimo 24 horas sem comer, mas talvez chegar a dez dias sem ingerir nada. O que você acha disto?

Uma ignorância absurda! Todo mundo sabe que é saudável comer de três em três horas. Deveria ter os dois lados  neste tipo de matéria, opiniões sobre médicos falando sobre a consequência disso pro corpo. Ninguém pensa em saúde? Em como vai envelhecer? Acho muito doido.

Veja mais imagens no álbum acima.

'É um Nina e Carminha com humor!' diz Ingrid Guimarães sobre a relação de Tina com Bárbara Ellen, em Sangue Bom

Sem mais artigos