Feliz com o sucesso de seu personagem na novela Insensato Coração, o ator Leonardo Miggiorin, que interpreta o promoter gay Roni na trama, revelou que tinha problemas de convivência na época do colégio. “Eu sofri bullying na escola. As meninas me adoravam. Então, os caras tinham ciúme de mim. Eu não era nada: um baixinho, um nerd. E, ainda assim, fazia sucesso com as meninas. Teve um cara que encasquetou comigo e tentava me atingir me xingando”, declarou o artista à QUEM.

Leo contou também que é muito tímido desde criança. “Imagina eu, lá dentro (da Globo), com Helena Ranaldi, Vera Holtz, José Mayer, todos na mesma mesa. Não conseguia me relacionar com eles. Era muito tenso. A Júlia Almeida, que namorei, me puxava pela mão e dizia que era importante eu falar com eles, criar vínculos no trabalho. Mas era difícil…”, disse.

Sobre a repercussão do seu personagem, ele disparou: “Pessoas de todas as faixas etárias e de todos os níveis vêm falar comigo. É a moça lá em casa, é o comandante do voo da ponte aérea, é a criança, o pobre, o rico. Um dia desses, um cara me abordou e disse: ‘Pô, é a primeira vez que estou torcendo por um gay’”.



"Eu sofri bullying na escola", diz Leonardo Miggiorin

Sem mais artigos