Guilherme Napolitano foi um dos ex-BBBs que participou de propaganda

Alguns participantes da vigésima edição do “Big Brother Brasil” podem ser penalizados pela Justiça por divulgar nas redes sociais um relógio inteligente, que sairia grátis para os seus seguidores. Milhares de pessoas  já reclamaram que não receberam o produto.

Uma empresa que está comercializando um smart watch por R$ 697 está sendo acusada de dar golpe nos clientes por não entregar os produtos adquiridos através de propaganda dos ex-BBBs nas redes sociais.

Já fizeram a divulgação do produto Marcela McGowan, Guilherme Napolitano, Gizelly Bicalho e Mari González. Quem adquirisse o relógio através da propaganda feita por eles não precisaria pagar o valor da peça, avaliada em R$ 697, mas apenas o frete, que saia por cerca de R$ 90.

Quem comprou, parece ter se arrependido amargamente, já que não recebeu ainda o relógio e nem consegue entrar em contato com a empresa fornecedora. Sobrou então para os ex-BBBS, que viram suas redes tomadas por comentários sobre a situação.

“Lamentável essa propaganda feita por vocês. Comprei o relógio assim que vi nas suas chamadas, mas até agora não recebi e nem consigo falar com a empresa. Fui enganada. E agora, como vão me ajudar?”, disse uma seguidora da digital influencer Mari González.

“Vocês influenciadores só querem ganhar dinheiro com a publicidade e nem se importam em verificar se a loja divulgada é confiável ou não. Resumindo, joguei meu dinheiro no lixo por causa da sua propaganda”, escreveu um seguidor do modelo Guilherme Napolitano.

Em entrevista ao site Notícias da TV, Marcela McGowan revelou que tentou cancelar a parceria com a empresa do smart watch e repassou o contato que recebera para a reportagem.

Advogado ouvido também pelo site já deixou claro que caso o produto não seja entregue ou os clientes devidamente reembolsados, os ex-participantes do reality também podem sofrer com penalizações legais.

Sem mais artigos