Robin Gibb, um dos três integrantes do grupo britânico Bee Gees, que faleceu no último mês de maio, deixou mais de R$ 300 milhões de herança para familiares. A notícia foi divulgada pelo site do jornal The Sun, na noite dessa segunda-feira (22).

Porém, um valor desta magnitude gera trabalho para ser contado, separado e dividido e, segundo advogados, pode demorar até cinco anos para ser devidamente distribuído entre os herdeiros.

Até agora, a única pessoa que recebeu algo foi a doméstica Claire Yang, com quem Robin teve um filho. Ela recebeu cerca de R$ 16 milhões.

Sua família, a esposa Dwina e os filhos Melissa, Spencer e RJ terão o restante. Entre os bens do cantor, falecido aos 62 anos, está a casa da família (R$ 48 milhões), uma mansão em Miami (R$ 8 milhões), outra casa para Claire (estipulada em R$ 2,75 milhões) e mais um haras em South Kensington, Inglaterra, cujo valor chega quase aos R$ 26 milhões.

Robin Gibb foi o segundo a falecer entre o trio multipremiado e recordista de vendas. Maurice Gibb, seu irmão gêmeo, faleceu em 2003 aos 54 anos. Barry Gibb, de 66 anos, continua com o legado do grupo.

Sem mais artigos