Após se recuperar de uma pneumonia que resultou numa septicemia, Jô Soares comentou como foi sua volta às gravações do Programa do Jô, em entrevista para o jornal O Globo, publicada nesta sexta-feira (12).

“Fiquei nervoso, com sempre nas minhas estreias. Ao receber o carinho da produção, as flores, o calor das palmas da plateia, chorei. Sou muito emotivo”, revelou o apresentador, que chegou a ficar três semanas internado no hospital Sírio-Libanês em São Paulo e um mês e meio longe das gravações da atração da TV Globo.

Ele ainda revelou como estava no momento em que foi socorrido por Flávia Soares, com quem se casou em 1983: “A Flavinha teve uma intuição e foi lá em casa me ver. Ela percebeu que eu não estava bem e eu reagi muito a isso. Ela me obrigou a ir para o hospital. Fui discutindo com ela no caminho, mas já estava delirando, com a pressão a cinco por dois”.

Durante o tempo em que ficou internado, muitos boatos a respeito da saúde do apresentador acabaram rolando, mas nada que tenha o afetado: “Chegaram a afirmar que eu tinha tido uma parada cardíaca depois de morto. E como Drauzio Varella, meu amigo há 37 anos, me acompanhou e é oncologista, publicaram num blog que eu estava com câncer”.

A história foi ainda mais longe: “O Drauzio me disse: ‘Saiu um necrológio seu’. Para mim, isso não significou nada, não me afetou. Isso só acontece por falta de verificação das notícias, em lugares em que se publica qualquer coisa”.

Jô Soares comenta boatos que rolaram durante sua internação: 'Não me afetaram'

Sem mais artigos