Hermes Quintão, editor da revista Cartas Rurais – Vale do Aço, ficou pasmo ao ler a notícia que a Record tinha deixado o auditório em cárcere privado e resolveu relembrar uma situação semelhante quando fez figuração para a novela Os Mutantes: Caminhos do Coração no qual as pessoas ficaram sem comer por um logo período de tempo. Ele relatou em seu Facebook e depois conversou com o Virgula Famosos nesta sexta-feira (25).

Na rede social, o jornalista de 36 anos escreveu: “Na novela Os Mutantes, em uma gravação que aconteceu no Dia dos Pais de 2007 (12 de agosto), aconteceu algo parecido com o que aconteceu recentemente no programa do Geraldo. Os figurantes foram escalados para gravar uma cena em um restaurante dos Jardins (bairro nobre de São Paulo). Eu fui uma das dezenas de figurantes que chegaram às 17h com a promessa de estar liberado até as 22h. Mas foi só neste horário que a equipe da Record conseguiu iniciar as gravações, que se estenderam até a manhã seguinte, sem que ninguém da produção nos oferecesse uma água ou pão com manteiga”.

E continua: “Às 3h30 da madrugada chegou um lanche, mas os figurantes não puderam comer, somente os diretores, atores e equipe de produção. O barraco então foi geral. Só não chegou a ter polícia! Aliás, eu era o policial, mas figurante”.

Hermes contou ao Virgula que ele quis embora, “mas os produtores da agência de casting não queriam me liberar e eles também estavam com as minhas roupas. E eu não poderia ir embora com o figurino da produção. Então, diante do cárcere privado, eu briguei, aumentei o tom da minha voz, querendo de volta minhas roupas e obviamente os R$50 da figuração”.

“Estávamos todos com muita, mas muita fome mesmo porque a gravação foi dentro de um restaurante nos Jardins (geralmente restaurantes com preços bem altos) e lá não tinha nenhuma lanchonete, bar, carrinho de cachorro quente para que a gente mesmo pudesse comprar comida”, conta.

O lanche, que chegou depois de toda a confusão, foi assim distribuído: “Primeiro comeriam os atores, atrizes, produtores, diretores. E os figurantes por último. Considerei um ultraje”

“Foi um choque o que aconteceu porque até então, em todos os trabalhos de gravações que  tinha feito, havia sempre uma preocupação dos produtores com a comida, mesa farta, para motivar e desestressar o ambiente. Mas na Record não havia essa preocupação e, quando vi aquela notícia, me surpreendi com o fato de a emissora continuar adepta da mesquinharia”

A reportagem do Virgula entrou em contato com a assessoria da Record que ficou de dar uma resposta sobre o caso, mas até o fechamento desta nota, nada foi enviado.

Sem mais artigos