Corey Feldman, de 42 anos, é aquele ator que fez sucesso na década de 80 com filmes como Os Garotos Perdidos (1987), Os Goonies (1985), e Conta Comigo (1986). Recentemente ele lançou uma autobiografia, intitulada Coreyography, em que descreve sua mãe, Sheila Kenner, como abusiva, viciada em drogas, e a culpa pela sua carreira instável. Para se defender das acusações, Sheila falou ao site Radar Online, em nota publicada nesta segunda-feira (4).

Sheila afirmou, ex-coelhinha da Playboy, afirmou que era muito jovem quando teve Corey e que “alguns males vêm para o bem”. Em seu livro, Feldman acusa sua mãe de uma infinidade de abusos, alimentá-lo com pílulas de dieta, bater nele com uma haste de cortina, usar drogas entre outras coisas.

Ela ainda disse não ter lido o livro e que só sabe do conteúdo por comentários que leu na mídia. “Essa história está ficando fora do controle (…) Eu estou tentando lidar com isso mas é difícil”, afirmou Sheila que disse que sabia que o filho preparava um livro. “Uma vez saímos para jantar e ele me disse: ‘Mãe, você não vai gostar do que eu tenho a dizer (no livro)’. Eu disse: ’Corey , eu provavelmente não vou gostar. Eu vou ficar se o que você disser não for verdade”.

A mãe do ex-ator mirim também afirmou que, ao contrário do que Feldman diz, o livro não é uma autobiografia e na verdade foi escrito por um “ghost-writer”. E, é claro, ela também prepara a sua versão da história para ser lançada em um livro.

Sem mais artigos