Nesta terça-feira, o  assessor de um delegado de Los Angeles, Steve Whitmore, havia afirmado que  Paris Hilton poderia ter sua pena de 45 dias reduzida a quase nada. Ela ficaria apenas algumas horas presa. Isso já era previsto, mas considerado pouco provável. O motivo não tem nada a ver com os pedidos de seus fãs junto ao governador Arnold Schwarzenegger. A razão para não ter que encarar o xadrez era a superlotação do presídio Century Regional Detention Facility, onde a loira se "hospedaria".

O assessor de um delegado afirmou à revista People que quando isso acontece são liberadas presas consideradas não perigosas e rés primárias. Ele também comunicou que tudo dependeria da quantidade de detentas mantidas no presídio na ocasião em que Paris se apresentasse para cumprir a sentença. E ainda garantiu que a herdeira Hilton não receberia qualquer tratamento diferenciado. “O público pode esperar que o Departamento de Polícia de Los Angeles tomará a melhor decisão para cada um dos envolvidos. Nós a trataremos como a qualquer outra pessoa. Esse é o nosso objetivo", assegurou o assessor.

No entanto, a história toda mudou de figura em apenas um dia. Na quarta, Withmore informou que a decisão da terça foi repensada e que a socialite passará pelo menos 23 dias no presídio californiano. Isso porque serão descontados 22 dias da pena por estímulo ao bom comportamento. “A nova decisão foi tomada depois da avaliação e todos os fatores, incluindo os pedidos por escrito do juiz, a natureza da causa, e a falta de antecedentes criminais da acusada”, justificou Withmore.

Agora é só esperar para ver se a polícia de Los Angeles não vai mudar de idéia de novo, pelo menos até o fim de semana.
 

Mais:

Louca? Paris Hilton alega estresse para escapar das grades

Sem mais artigos