Rita Lee não aguentou e mesmo tendo dito no começo da semana que iria abandonar o Twitter, ela voltou ao microblog nesta quarta-feira (01) para falar pela primeira vez sobre a confusão com os policiais do Sergipe, que resultou em sua prisão por desacato.

“Nāo deu pra segurar, explodi. Por três vezes pedi. Nāo consegui. Invasāo truculenta, plateia refém do Louco. Meu dragāo reagiu. Vomitei fogo”, postou Rita.

Na fã page de Rita no Facebook, ela explica que foi usada como bode expiatório para uma aproximação entre o governador de Sergipe, Marcelo Déda (PT) e a PM.

E cita uma reportagem do jornalista Araripe Coutinho do dia 26 de janeiro desse ano que diz: “Existe uma guerra branca da Polícia Militar com o Governo de Sergipe. Algo legítimo, ao que parece, mas incompreensível aos olhos da população. Existe um jurista conhecido chamado Nelson Hungria que bem enfatiza este momento em que vive a Polícia Militar de Sergipe. Ele diz: A necessidade está acima da Lei. No episódio Pré-Caju, onde existiu claramente uma greve branca, com policiais que até exame de sangue foram fazer no Hemose para não trabalhar na maior prévia carnavalesca do país. Este, com certeza, não é o posicionamento do sindicato, nem do comando. O Governador sente-se acossado pelo Sindicato e diz que não vai permitir bandalheira”.

Sem mais artigos