Nando Reis, de 51 anos, falou sobre a sua relação com as drogas, em entrevista à revista Trip de maio, cuja capa é estampada por ele. À publicação, o cantor disse que parou de beber há um ano e três meses porque achou “que estava dando muito problema”. As informações foram divulgadas nesta quarta-feira (14), pela assessoria de imprensa da revista.

“Usei muita cocaína e álcool. Estou há um ano e três meses sem beber, porque eu também achei que estava dando muito problema. Essa percepção de quão tóxicos estavam se tornando esses dois elementos na minha vida, que sempre se misturaram com a minha relação de trabalho… Sempre bebi, desde pequeno. Há algo na minha família, essa coisa do glamour… Diferentemente do meu pai e do meu avô, que tomavam seu uísque e tal, eu bebia a trabalho, sabe?”, disse o cantor.

“Nunca fui bobo de achar que uma coisa estaria boa apenas porque eu estava doido. Ou porque tô careta. É muito mais na hora de “tá bom, vamos abrir o violão e pegar essa coisa”. É pra esquentar. Pra responder mais objetivamente: não há diferença de qualidade, de característica. Minha forma de pensar é minha, careta ou louco. Não muda”, continuou Nando Reis.

O cantor, que é um dos músicos que mais faturam com direitos autorais, disse também que acha estranho não ganhar prêmios: “É engraçado, às vezes eu acho que eu tenho um “não lugar” na história da música brasileira. Grande parte do meu repertório, que me coloca nessa lista, é muito popular. Mas parece que aos olhos da produção cultural brasileira isso me descredibiliza, como se eu fosse um artista pop de segunda linha. Não sou o cult, tenho 51 anos, tenho uma carreira de 30 e tantos anos, já fiz músicas de sucesso com os Titãs, muitas músicas minhas fizeram sucesso na rádio. Mas não sou premiado em nada”.

Sem mais artigos