Completando 21 de carreira ao lado do irmão Luciano, o cantor Zezé Di Camargo concedeu entrevista ao Jornal da Tarde nesta quinta-feira (19), e falou sobre a fama de dupla romântica.

A música melosa vai ser sempre eterna. Você não precisa ter 20, 30 ou 40 anos para sentir frio na barriga quando você vê aquela pessoa que você gosta. É nesse momento que a gente entra, um momento muito importante da vida das pessoas. É diferente de uma música da moda, que você curte pelo baratinho que ela está dando, pela dancinha que você vai fazer. Qual é emoção que um cara vai ter quando ouvir, daqui a dez anos, a música ‘Hoje é Festa Lá no Meu Apê’. ‘Ai Se Eu Te Pego’ é do momento”, disse ele, ao se referir à canção Festa no Apê interpretada por Latino e ao sucesso sertanejo interpretado por Michel Teló.

“Mas daqui dez anos, ele vai continuar ouvindo ‘detalhes tão pequenos de nós dois’ e vai sentir a mesma emoção. A música romântica fica”, completou.

Zezé ainda falou sobre a necessidade de sempre agradar o público. “Até hoje, não sei o que é carisma. Por que eu tenho carisma agora e não tinha aos 16 anos? Por que ele só passou a existir depois que eu fiz sucesso? Acho que o carisma tem de andar junto com o sucesso e é você cantar e falar aquilo que emociona as pessoas. Você tem de ser o príncipe encantado que as pessoas imaginam que você seja. Tento me portar assim”, afirmou.

“Eu nem sou exemplo. Sou uma pessoa correta na minha vida, com relação à bebida, nunca mexi com droga. Sou um cara correto, família. Mesmo assim pegam no meu pé, acham que sou o maior paquerador do Brasil e que tenho uma namorada em cada Estado do Brasil. Estou na base do quer falar, fala. Já me preocupei muito com isso. Hoje não, sou bem tranquilo. Além disso, ser certinho demais é muito chato, né?”, finalizou.

O artista também deixou a modéstia de lado e disparou: “Se disserem que é preciso citar três artistas conhecidos em qualquer canto do Brasil e que todo mundo já ouviu falar, Zezé Di Camargo e Luciano vão estar entre estes três. Não tenho dúvida”.

O cantor Luciano também conversou com a publicação e falou da briga que teve com o irmão, antes de um show em Curitiba, em 2011. “Foi uma série de problemas com as pessoas que estão a nossa volta. Depois disso, decidimos que tudo que um precisasse falar para ooutro seria sem intermediários”, explicou.

O motivo foi atendimento no camarim”, emendou Zezé. “Tínhamos 80 pessoas para atender antes do show e eu queria atender depois, porque a gente tem mais tempo com o pessoal. E a menina que produz para a gente já tinha reclamado para mim, no almoço, que o Luciano nunca ficava tempo suficiente para atender aos patrocinadores e fui falar isso para ele na hora da discussão. Aí, o bicho pegou”, comentou.

Zezé Di Camargo critica músicas interpretadas por Teló e Latino e fala da sua fama de paquerador

Sem mais artigos