O CEO da Apple, Tim Cook, anunciou na quinta-feira (04) que o sistema de armazenamento na nuvem iCloud incorporará dentro de 15 dias um novo alerta de segurança para evitar vazamentos como o que no fim de semana espalharam fotos íntimas de várias atrizes e celebridades pela internet.

Em uma entrevista ao “Wall Street Journal”, a primeira após o escândalo, Cook explicou que este mecanismo servirá para avisar ao usuário quando houver uma tentativa de restaurar o conteúdo armazenado no iCloud.

O alerta permitirá “tomar uma ação imediata”, seja mudando a senha para recuperar o controle da conta ou alertando a equipe de segurança da Apple.

Até agora os usuários recebiam um aviso via e-mail quando alguém tentava mudar a senha ou se conectava pela primeira vez de um dispositivo da Apple desconhecido, mas não havia notificações para as tentativas de restaurar o conteúdo armazenado no iCloud.

Cook defendeu que o mais importante para garantir a segurança do conteúdo armazenado na nuvem não é tanto o fator tecnológico, senhas difíceis ou sistema de dupla verificação.

“Quando penso nesta situação terrível que aconteceu e penso no que mais poderia ter feito, digo que a conscientização é a chave. Temos a responsabilidade de melhorá-la. Não se trata realmente de algo de engenharia”, disse Cook.

No caso do último grande vazamento, que revelou fotos nuas de atrizes como Jennifer Lawrence, Kate Upton, e a cantora Rihanna, a Apple insistiu que o incidente não se deveu a nenhuma falha na segurança de seus dispositivos, mas na segurança deficiente das contas dos usuários.

A companhia recomenda ativar do método de verificação de dois passos, opcional para os possuidores de um identificador da Apple, que quando está em uso requer que o proprietário da conta confirme sua identidade antes de ser possível mudar a configuração do serviço ou realizar compras.

Segundo Apple, o vazamento das fotografias íntimas das famosas não teria sido possível se a dupla verificação estivesse ativada, porque os hackers não teriam como adivinhas as respostas às perguntas de segurança.

Com uma investigação após o escândalo, a Apple descartou há poucos dias o vazamento tivesse sido possibilitado por uma vulnerabilidade de seus sistemas.

A equipe que analisou o incidente chegou a essa conclusão após “mais de 40 horas” de trabalho nas quais descobriram que o ataque aconteceu mediante o emprego de “nomes de usuário, senhas e perguntas de segurança das famosas, uma prática que se tornou muito frequente na internet”.

Apesar de muitas das fotos terem sido qualificadas como falsificações, algumas das celebridades admitiram a autenticidade das imagens, como Jennifer Lawrence. A atriz afirmou que processará “qualquer meio que hospedar ou divulgar as fotos roubadas”.

A lista de famosas que vítimas deste ataque virtual inclui Ariana Grande, Rihanna, Victoria Justice, Kim Kardashian, Kate Upton, Lea Michelle, Mary Kate Olsen e Kirsten Dunst, segundo o portal Buzzfeed.com.

Sem mais artigos