Com cada vez menos dificuldades para chegar em primeiro lugar em uma corrida na Fórmula 1, o alemão Sebastian Vettel, da Red Bull, obteve no Grande Prêmio dos Estados Unidos no último domingo (17) a oitava vitória seguida, batendo um recorde estabelecido por seu grande ídolo, Michael Schumacher, em 2004.

Largando na pole, o tetracampeão antecipado manteve a posição na primeira volta, apesar das investidas do francês Romain Grosjean, e não saiu mais da liderança. O piloto da Lotus completou a prova no Circuito das Américas, em Austin, no Texas, em segundo lugar, seguido pelo outro piloto da Red Bull, o australiano Mark Webber.

Por sua vez, o brasileiro Felipe Massa, que saiu em 15º, fechou um final de semana para se esquecer com a 14ª colocação na prova. Porém, o brasileiro ganhou uma posição no fim por conta da punição sofrida pelo francês Jean-Éric Vergne. Melhor desempenho teve seu companheiro de equipe na Ferrari, o espanhol Fernando Alonso, que chegou em quinto e confirmou o terceiro vice-campeonato da carreira.

Vencendo consecutivamente desde o GP da Bélgica, em agosto, Vettel bateu o recorde de vitórias seguidas estabelecido por Schumacher em 2004, ano em que se sagrou heptacampeão, e ainda se aproximou de outra marca de ‘Schumi’, a de vitórias em apenas uma temporada. O piloto de 27 anos já soma 12 em 2013, e igualará o registro feito por seu ídolo em 2004 caso vença o GP do Brasil, na próxima semana.

De quebra, se subir ao lugar mais alto do pódio em Interlagos, o fenômeno alemão renovará sua condição de piloto com mais pontos na história. Ele obteve 392 em 2011, e pode somar 397 na atual temporada.

Com o título de Vettel definido desde o GP da Índia, em 27 de outubro, a disputa mais atrativa entre os pilotos era a pelo vice-campeonato. Quem ficou com o posto, repetindo o que já havia feito em 2010 e 2012, foi Alonso. O espanhol precisava de um quinto lugar, justamente a posição que conseguiu. Além dos três pilotos do pódio, ele completou a corrida atrás do britânico Lewis Hamilton (Mercedes).

Fecharam a zona de pontuação, respectivamente do sexto ao décimo lugares, Nico Hulkenberg, da Sauber, Sergio Pérez, da McLaren, Valteri Bottas, da Williams, Nico Rosberg, da Mercedes, e Jenson Button, da McLaren.

Na briga pelo segundo lugar no Mundial de construtores, a Mercedes abriu 15 pontos para a Ferrari. A equipe alemã somou 14 pontos, 12 com Hamilton e dois com Rosberg, enquanto a escuderia italiana obteve os dez de Alonso.

Vettel largou bem, e Grosjean ganhou a segunda posição. Webber caiu para quarto, atrás também de Hamilton. Massa até saiu bem, mas ficou preso e perdeu posições. Ainda na primeira volta, um acidente com o alemão Adrian Sutil deixou o safety car na pista até a quinta.

Após a largada ruim, Webber fez linda manobra para cima de Hamilton e assumiu o terceiro lugar na volta 14. Em disputas diretas entre Ferrari e McLaren, Felipe Massa ganhou posição de Button nos boxes na 22ª volta. Também no pit, na 27, Alonso tomou o lugar de Pérez, subindo para sétimo. Logo em seguida, o espanhol passou Gutiérrez e foi para sexto.

Webber tentou ganhar o segundo lugar de Grosjean com o pit stop mais rápido da corrida, em 2s3, mas o máximo que conseguiu foi se aproximar do francês. O australiano tirou o pé por excesso de vibração no carro, voltou com tudo a partir da 39ª volta, mas não teve pneus para pressionar até o final.

Alonso era quem mais ultrapassava, e ganhou a quinta posição de Hulkenberg na volta 45. ‘Hulk’ recuperou o posto na última volta, mas por milésimos de segundo, já que tomou um “X” em seguida e ficou mesmo em sexto.

Sem mais artigos