Gary Hartstein foi o chefe responsável sobre os médicos até a temporada 2013 da Fórmula e, por meio de sua conta no Twitter, vem respondendo a fãs sobre a atual situação de Michael Schumacher, que sofreu um acidente enquanto esquiava nesse domingo (29) e está em coma e hemorragia cerebral.

“As hemorragias epidurais, uma espécie de hemorragia cerebral, podem deixar um certo intervalo de lucidez após o acidente. O aumento da pressão provoca alguns sintomas específicos e deve ser revertido rapidamente, obrigando a uma intervenção cirúrgica urgente. Na sequência, o paciente é colocado em cuidados intensivos. A qualidade da recuperação depende de muitos fatores: a gravidade da ferida inicial, a amplitude da elevação da pressão, a rapidez com que ela é reduzida e, por fim, os cuidados intensivos após a cirurgia”, escreveu ainda na noite do acidente.

Schumacher usava capacete no momento da queda e isso pode ter salvado sua vida, segundo os médicos. Hartstein também tranquiliza os interessados.

“Não há nada de anormal em ter que esperar até as 8h por mais notícias. Isso dará aos médicos a chance de fazer novos exames, ver as tomografias, verificar os resultados do sangue. É perfeitamente normal. O que nós queremos ouvir nesta segunda-feira: Schumacher está fora ou começando a sair do respirador, e a pressão intracraniana ficou normal. Se ouvirmos isso, estamos ok”, explicou.

Porém, lesões no crânio são sempre preocupante. Nesta manhã, o médico americano também utilizou a rede social para dar mais informações de acordo com sua experiência.

“Respondendo à questão ‘Michael irá sobreviver?’, a resposta é um ressonante SIM. Relembrem que, agora, as coisas estão bem dinâmicas. Sem saber mais do que sabemos por enquanto, sobrevivência sem alguma sequela é certamente possível.

Depois, Hartstein pediu pela torcida dos que admiram o heptacampeão mundial de Fórmula 1 e lembrou da coletiva de imprensa que os profissionais do hospital de Grenoble, onde o alemão está internado, farão nesta segunda.

“Preparando-se para a conferência de imprensa, todo bom doutor sabe que um pouco de sorte ou uma piscada de um anjo da guarda, qualquer coisa, são sempre de boa ajuda. Todos cruzem seus dedos, rezem e acendam velas. Tudo isso. Seja por Michael e por todos os outros pacientes com lesões na cabeça trazidos ontem (ao hospital)”, pediu.

Sem mais artigos