Pesquisadores avaliaram funcionamento da rede social durante seis meses em mais de 90 países

Uma pesquisa acusou o Facebook de apoiar a expansão do Estado Islâmico, ISIS, via sugestão de amigos por interesse. Segundo pesquisadores, o algoritmo usado pela empresa de rede social ajudou milhares de extremistas a se conhecerem e se conectarem. As informações foram publicadas no Independent.

O estudo avaliou as atividades do Facebook de 1 mil usuários a favor das ações do Estado Islâmico em 96 países. A pesquisa descobriu que frequentemente os membros foram conectados via Facebook. Robert Postings, um dos pesquisadores, disse que após clicar em páginas não-extremistas sobre o Estado Islâmico, ele recebeu diversas sugestões de amigos relacionados ao ISIS.

“O Facebook, em um desejo de conectar a maior quantidade de pessoas possível criou um sistema que ajuda a conectar extremistas e terroristas”, afirmou Postings. O estudo também avaliou as ações do Facebook para barrar a divulgação de material extremista na rede social. Das 1 mil contas avaliadas na pesquisa ao longo de seis meses, menos da metade foi suspensa pelo Facebook.

Os eventos do Facebook mais doidos

Torcendo muito para que este evento seja verdade | Créditos: Reprodução
Obrigado aos heróis que criaram isso | Créditos: Reprodução
Coisas rebaixadas são um grande hit entre os eventos no Facebook | Créditos: Reprodução
Parece mentira, mas é verdade | Créditos: Reprodução
Um campeonato onde todos são vencedores | Créditos: Reprodução
Existe também a versão regional do campeonato | Créditos: Reprodução
Por um mundo melhor | Créditos: Reprodução
O mundo precisa de "Yo necesito" | Créditos: Reprodução
Única atração possível | Créditos: Reprodução
Queremos | Créditos: Reprodução

Facebook apoia o ISIS em mais de 90 países, diz estudo

Sem mais artigos
Sair da versão mobile