O ex-piloto alemão de Fórmula 1 Michael Schumacher contraiu uma pneumonia durante o coma induzido em um hospital francês depois que foi internado devido a um grave acidente de esqui em dezembro do ano passado, informou nesta quarta-feira (12) o tabloide alemão Bild.

O jornal garante que os médicos que atendem o heptacampeão mundial de Fórmula 1 no hospital de Grenoble (França), desde que foi internado no dia 29 de dezembro, constataram na semana passada sua infecção pulmonar e começaram a administrar fortes antibióticos ao ex-piloto.

A pneumonia, uma doença grave e que em casos extremos pode levar à morte, foi detectada duas semanas depois que a equipe médica francesa anunciou que iniciaria o processo para despertar Schumacher do coma induzido, por isso esta nova complicação piora as previsões de uma situação que por si só já é difícil.

O Bild afirmou que desconhece se, por causa da pneumonia, o processo de saída gradual do coma induzido do ex-piloto será paralisado ou interrompido totalmente.

A porta-voz de Schumacher, Sabine Kehm, afirmou em declarações ao jornal alemão que as informações sobre a nova complicação do piloto são meras especulações.

O hospital de Grenoble foi obrigado a desmentir na semana passada os rumores que apontavam que o ex-piloto alemão tinha falecido.

Schumacher se encontra desde o dia 29 de dezembro no hospital universitário de Grenoble, onde foi internado após ter sofrido uma forte queda em um setor fora da pista da estação de esqui de Méribel, onde possui uma residência.

Na queda o heptacampeão bateu a cabeça contra uma pedra e os médicos consideram que ele poderia ter sofrido danos cerebrais, por isso foi induzido ao coma no qual se encontra.

Sem mais artigos