Com média de cinco horas por dia em computadores e quase quatro em dispositivos móveis, o Brasil é o país em que a população passa mais tempo na internet, segundo estudo da ‘We Are Social’. Todo esse tempo de uso está atrelado, principalmente, ao acesso às redes wi-fi, que oferece maior economia e velocidade.

(crédito: VisualHunt/Divulgação)

(crédito: VisualHunt/Divulgação)

O que pouca gente sabe é que este acesso esconde um perigo: hackers estão cada vez mais atentos às redes de internet públicas que, por serem abertas, facilitam a captura de dados de usuários. De acordo com a PSafe, empresa especialista em segurança e performance digital, estes ‘piratas’ conseguem acessar os dados de navegação dos usuários e capturar arquivos pessoais e de trabalho, fotos íntimas e até mesmo senhas.

No entanto, existem algumas regras que podem manter a sua rede segura e garantir a privacidade de seus dados!

Sistema operacional do celular atualizado
Manter o sistema operacional do celular sempre atualizado é extremamente importante. Isso porque os desenvolvedores constantemente consertam as falhas de segurança existentes na versão anterior e, com isso, dificultam o ataque externo de hackers.

Redes abertas e VPN
Redes wi-fi que não solicitam senhas são as mais visadas por hackers. Por isso, é aconselhável utilizar apenas redes com senhas, que ofereçam algum tipo de criptografia de dados. Se a necessidade de conectar em redes públicas for frequente, a solução é contratar um serviço confiável de VPN. O VPN atua como uma “ponte” que conecta o dispositivo do usuário a uma rede estrangeira, impedindo que o hacker tenha acesso às informações do aparelho. No entanto, isso só é possível se o usuário optar por uma VPN que seja reconhecida como segura. Caso contrário, há o risco de vazamento de dados.

Antivírus
Um “cérebro biológico” não é capaz de se defender de um “cérebro eletrônico”. Por isso, apenas boas práticas online não são suficientes para fornecer proteção de seus dados, alerta a PSafe. A solução é ter um antivírus no celular para adicionar uma barreira de segurança extra e garantir a sua privacidade.

Cuidado com seu roteador
Nunca mantenha a senha padrão oferecida no aparelho roteador. Além disso, se a senha do seu wi-fi já foi compartilhada com outras pessoas, lembre-se de trocá-la com frequência.

Senhas fortes
Uma senha segura deve ter pelo menos 10 dígitos e misturar letras maiúsculas, minúsculas, caracteres especiais e números. “Quanto mais caracteres são inseridos em uma senha, mais tempo um hacker vai demorar para tentar derrubar essa barreira”, alerta Marco DeMello, CEO da PSafe. Lembre-se de nunca utilizar datas de aniversários, nome de familiares ou qualquer outro dado que seja de fácil acesso ou conhecimento.

Navegue com atenção
A correria do dia-a-dia muitas vezes não nos deixa perceber alterações em páginas que costumamos acessar. Por isso, é importante ficar atento a qualquer comportamento estranho, principalmente, com sites bancários, links recebidos por e-mail e solicitações de informações confidenciais para autenticação. Se entrar nesses sites por meio de uma rede wi-fi aberta, a atenção deve ser redobrada, já que o endereço pode estar comprometido no wi-fi, realizando um redirecionado para uma página falsa.

Sem mais artigos