Lucas Silveira apresenta “museu gamer” e cria trilha sonora para jogo

Garagem transformada em universo geek, consoles raríssimos, setup ultra tecnológico, músicas desenvolvidas especialmente para jogos, empresa com mega estrutura e até massagista à disposição.

> Siga o novo Instagram do Virgula! Clique e fique por dentro do melhor do Entretê!

Um dos mais influentes gamers e produtores de conteúdo do Brasil, João ‘Flakes Power’ Sampaio invade as mais impressionantes Gaming Rooms do país para mostrar a personalização desses ‘cantinhos dos sonhos’ e os bastidores de ícones dos eSports, incluindo grandes nomes da música e do cosplay, na nova série ‘Gaming Cribs’, disponível gratuitamente pela Red Bull TV por meio do link https://www.redbull.com/br-pt/shows/gaming-cribs.

Para o episódio de estreia, Lucas Silveira, vocalista da banda Fresno e grande aficionado por games, impressiona com sua coleção e capacidade de fazer uma trilha sonora em minutos.

Com mais de 380 itens que incluem fliperamas, cartuchos, consoles, joysticks e periféricos, o musicista transformou a sua garagem em um verdadeiro acervo de raridades. Sua coleção, aliás, começou de forma inusitada: uma fã o presenteou com um Super Nintendo, que o instigou a continuar adquirindo jogos eletrônicos antigos. Atualmente, o local abriga uma espécie de museu gamer e é dedicada aos inúmeros Mega Driver, Master Systems, Playstations e Ataris.

“Nos anos 90, a gente se sentia no futuro só de pegar um negócio desses [videogame] e jogar. As Gaming Rooms eram o quarto: a galera cansava de jogar bola e ia pro videogame. A gente tinha no máximo o poster que vinha na revista, porque pra olhar o cheat (código especial) do jogo tinha que comprar a revista”, comenta Lucas.

Até mesmo Flakes Power, gamer e apresentador da série, se surpreendeu com a coleção de consoles. “A Gaming Room do Lucas é realmente insana, eu não esperava por isso. Achei que seria só uma televisão de 70 polegadas e um Playstation 5. Sua casa é um sonho pra todo mundo que apaixonado por jogos retrô e por música. Quem sabe um dia eu consiga ter uma coleção dessa”, comenta o criador de conteúdo.

O episódio ainda traz uma disputa acirrada entre Flakes e Lucas, e não deixa de fora uma das maiores paixões do vocalista, a música. No estúdio onde foram gravadas as canções da Fresno, que também fica na casa do vocalista, a dupla Flakes Power e Lucas se aventurou pelas trilhas sonoras dos games.

Silveira ainda dá show: abusou da criatividade e criou, do zero e em poucos minutos, uma soundtrack perfeita para jogos de corrida, mostrando como faz, de forma brilhante, conexão entre duas de suas grandes paixões. “O game me influencia bastante, pois muito do meu repertório afetivo vem de músicas de jogos clássicos, ficando impossível não incorporar isso à minha produção e composição. Também me interesso muito por como foram feitas essas músicas e, às vezes, aprendendo com os produtores, posso ter ideias para minhas criações”, completa Lucas.

Para conferir o conteúdo, basta assistir ao primeiro episódio de Gaming Cribs, já disponível na Red Bull TV.

GAMING CRIBS:

Produzida pela Fine TV, a série, apresentada por Flakes Power, conta com cinco episódios de 15 minutos, que recebem, a cada capítulo, um convidado especial. Lucas Silveira, vocalista da banda Fresno, é o primeiro a abrir os detalhes e curiosidades da sua Crib. Nas semanas seguintes, Flakes desbrava as Gaming Rooms da FURIA, uma das maiores organizações de eSports do Brasil, Igor Fraga, campeão de eSports e de kart; Gabriela Zuski, cosplayer e streamer; e Mount, produtor de conteúdo da FURIA. Os episódios vão ao ar todas às terças-feiras, de forma gratuita.

Eleito um dos 30 jovens mais promissores do Brasil pela Forbes, o gamer, criador de conteúdo e empresário faz sua estreia como apresentador. “A série ficou incrível. Vai agradar todo mundo que é gamer, que gosta de jogar e quem tá querendo montar sua própria gaming room. Trouxemos pessoas de nichos completamente diferentes e é legal ver como cada um tem a sua crib de acordo com suas necessidades. Normalmente essas comunidades não têm conexão. Então é legal entender como elas atuam no cenário, o que eles fazem, onde jogam”, comenta Flakes Power.

Lucas Silveira apresenta "museu gamer" e cria trilha sonora para jogo

Sem mais artigos