Consumo de livros no Brasil cresce no primeiro semestre

Um relatório feito pela agência Nielsen apontou que o mercado editorial brasileiro recuperou a sua força neste ano e cresceu logo 48,5% no primeiro semestre, na comparação com igual período de 2020.

AInda de acordo com o Painel do Varejo de Livros no Brasil, divulgado pelo Sindicato Nacional de Editores de Livros, o Snel, o faturamento saltou de R$ 846,2 milhões em 2020 para R$ 1,19 bilhão em 2021.

Ricardo Almeida, CEO do Clube de Autores, a maior plataforma de autopublicação da América Latina, alguns fatores ajudam a entender o crescimento, principalmente da área de livros independentes.

“Notamos que, em geral, as novas obras demonstraram uma qualidade técnica mais sofisticada (incluindo capas mais sedutoras, projetos gráficos mais atraentes e textos editorialmente trabalhados), o que sem dúvidas contribuiu para o interesse do consumidor em livros independentes”.

O Clube de Autores também apresentou um aumento exponencial no primeiro semestre de 2021 . Com faturamento de R$ 8 milhões, registrou um salto de 70% nas vendas de exemplares na plataforma.

Sem mais artigos