A vitória no Grande Prêmio de Mônaco neste domingo (25) representou para Nico Rosberg a volta à liderança do Mundial de pilotos, mas o fato mais comemorado pelo piloto alemão foi a quebra da sequência de quatro primeiros lugares de seu companheiro de equipe na Mercedes, o britânico Lewis Hamilton.

“É uma vitória especial porque Lewis estava nesta sequência de resultados, e eu precisava quebrá-la, algo que tentei fazer neste fim de semana. Certamente, ser líder do Mundial novamente e ganhar aqui em Mônaco é algo fantástico”, destacou Rosberg em entrevista coletiva após a corrida.

“Não sei se é a vitória mais importante, mas certamente é muito importante porque Lewis estava em um grande momento de resultados e eu precisava freá-lo. Ainda é muito cedo, e o campeonato será uma batalha muito dura”, advertiu.

O campeonato vem sendo uma briga direta entre o alemão e o britânico desde o começo, mas apenas em Monte Carlo a disputa se tornou uma guerra mais aberta, principalmente depois do polêmico erro de Rosberg no treino oficial, que impediu que Hamilton completasse sua última volta rápida. Mesmo assim, o vencedor deste domingo garantiu que a relação com o campeão de 2008 continua boa.

“Estamos bem. Tivemos discussões, mas o bom é que nos conhecemos há muito tempo. Sempre terminamos sentando e discutindo tudo e isso é o que faremos desta vez”, salientou.

Hamilton revela problema no olho durante GP de Mônaco

Após o segundo lugar no Grande Prêmio de Mônaco de Fórmula 1 neste domingo, que o tirou da liderança do campeonato, o britânico Lewis Hamilton revelou que correu parte da prova com apenas um olho aberto por ter entrado sujeita em seu capacete.

“Nunca tinha acontecido isso comigo antes. Mantive o visor fechado, mas havia um pouco de vento. Me aproximei de Nico (Rosberg) e de repente algum pó ou sujeira entrou em meu olho, de modo que tive de pilotar com um olho só, o que é quase impossível de fazer”, relatou Hamilton em entrevista coletiva.

“Nas curvas lentas, tentava abrir o visor para limpá-lo, mas a única coisa que conseguia era estragá-lo mais. Por sorte, a cinco voltas do final tudo voltou ao normal e consegui me manter à frente de Daniel (Ricciardo)”, completou.

Apesar de ter visto quebrada sua sequência de quatro vitórias na temporada, o campeão mundial de 2008 se mostrou satisfeito com o próprio ritmo de corrida.

“Em todas as corridas estivemos muito perto, mas neste fim de semana acho que tive um ritmo muito bom. Pilotei com todo o coração e dei tudo de mim. Sinto que pilotei bem durante todo o fim de semana, de modo que vou embora contente e terei mais energia e determinação na próxima corrida”, analisou.

Bastante chateado com o erro de Rosberg no treino classificatório, que impediu que os outros pilotos tentassem melhorar o tempo e tirar o alemão da pole position, Hamilton declarou guerra ao companheiro de equipe no sábado. Neste domingo, o britânico deixou de lado o tom de rivalidade, mas admitiu que a briga pelo título será difícil.

“Há uma batalha muito dura entre Nico e eu, que será mantida até o final da temporada, tenho certeza. Tenho certeza que Nico não terá um só deslize em todo o ano. Quanto a mim, o carro não deixou que eu completasse em Melbourne, mas em todas as corridas estivemos muito próximos, de modo que estou trabalhando para me manter com a cabeça erguida”, comentou.

O campeão mundial de 2008 também foi perguntado sobre as declarações dadas durante a semana. Antes do GP de Mônaco, Hamilton destacou sua origem humilde e disse ter “mais fome” que Rosberg, que foi criado em Mônaco.

“Me perguntaram quem tinha mais fome. Acho que qualquer piloto diria que é o que tem mais fome, e eu disse que o que me dá fome é onde cresci em comparação ao lugar onde Nico cresceu. Sempre me esforcei para viver aqui”, disse.

“Viajei com Nico no avião do pai dele, em seu barco, fui a sua casa. Tive essas experiências e elas me deram o desejo de chegar algum dia a isso, o que provoca essa fome de vitória. O pai de Nico obviamente me inspirou para estar onde estou agora”, acrescentou, em referência ao ex-piloto Keke Rosberg, campeão mundial de F-1 em 1982.

Sem mais artigos