O piloto alemão Nico Rosberg, da Mercedes, venceu neste domingo (26) pela primeira vez o Grande Prêmio de Mônaco de Fórmula 1 e repetiu o feito obtido por seu pai, o finlandês Keke Rosberg, há 30 anos, em 1983.


Nico, que havia largado na pole, conquistou a segunda vitória de sua carreira na F-1 e chegou logo à frente de seu compatriota Sebastian Vettel, da Red Bull, que manteve a liderança da classificação do Mundial de pilotos. Em terceiro ficou o australiano Mark Webber, também da equipe austríaca.

Após largar em último e tentar uma corrida de recuperação, Felipe Massa voltou a bater na curva Sainte Devote – como no treino livre de sábado (25), o que o tirou da sessão classificatória – e abandonou a prova. Apesar da violência do impacto, o brasileiro saiu do carro caminhando e passa bem. Ele foi a um hospital para passar por exames por precaução.

A corrida foi marcada não só pelo acidente de Massa, mas também por uma batida do venezuelano Pastor Maldonado (Williams), que após levar uma fechada do britânico Max Chilton (Marussia) acertou uma barreira de proteção e a espalhou pela pista. O GP teve que ser paralisado para que o traçado fosse novamente liberado.

O companheiro de equipe de Massa, o espanhol Fernando Alonso, chegou em sétimo lugar e permanece em terceiro no campeonato, agora com 78 pontos.

Com o segundo lugar, Vettel chegou a 107 pontos e ampliou para 21 sua vantagem na liderança sobre seu perseguidor mais próximo, Kimi Raikkonen. O finlandês, da Lotus, teve uma corrida conturbada após ser tocado por Sergio Pérez (McLaren), mas conseguiu chegar em décimo e marcar um ponto – tem 86 no total. Já o mexicano abandonou a cinco voltas do fim.

Mark Webber, terceiro colocado, subiu para quinto na classificação, com 57 pontos, logo atrás do britânico Lewis Hamilton, da McLaren, quarto em Mônaco e no geral, e que soma 62.

Sem mais artigos