José Roberto Arruda, governador licenciado do Distrito Federal e que está detido há três semanas na Superintendência da Polícia Federal, acusado de envolvimento na tentativa de suborno de uma testemunha do “Mensalão do DEM”, recusou-se a receber a notificação da aprovação, por parte da Câmara Legislativa do Distrito Federal, do processo em que é pedido seu impeachment.

A informação foi repassada pelos assessores do deputado distrital Batista das Cooperativas (PRP), primeiro-secretário da Câmara Legislativa e responsável pela tentativa de notificação de Arruda. Por mais de uma hora, o parlamentar e o procurador da Câmara, Fernando Nazaré, tentaram convencer o governador licenciado a aceitar a notificação mas, mesmo tendo a opção de fazê-lo à revelia, com a aprovação de duas testemunhas, optaram por levar a negativa para a Câmara.

Advogado do político, Nélio Machado informou que a recusa está relacionada com o fato da defesa não ter tido acesso à “integralidade da ação”. Nélio falou que “a defesa e o meu cliente não tiveram acesso a todos os documentos completos do inquérito, inclusive às partes sigilosas (e) quando ele receber na integralidade o que o Ministério Público conhece, o que a polícia conhece, é que ele vai se permitir ser notificado”.

Batista das Cooperativas começou a articular para segunda-feira uma reunião em que os deputados distritais decidirão o que fazer sobre o governador licenciado, sendo a principal possibilidade o retorno à Superintendência do Distrito Federal na segunda-feira.

Arruda rejeita ser notificado sobre impeachment

Sem mais artigos