O Ministério das Relações Exteriores encontrou mais nove brasileiros feridos em consequência de um ataque de moradores locais em Albina, no Suriname. Entre as pessoas localizadas está uma mulher grávida que perdeu o bebê após o confronto.

Os feridos foram encontrados pela cônsul-geral do Brasil na Guiana Francesa, Ana Lélia Beltrame, na cidade de Saint-Laurent-du-Maroni, no território francês. A localidade faz fronteira com o Suriname e é separada de Albina pelo Rio Maroni.

De acordo com o Itamaraty, nenhum dos feridos que cruzaram a fronteira estão em estado grave. A mulher que perdeu o bebê, informou o Ministério das Relações Exteriores, está com um ferimento na mão, mas sem gravidade.

Em relato publicado na página de uma rádio de Paramaribo (capital do Suriname), na internet, o padre brasileiro José Vergílio afirma que o ataque deixou pelo menos sete brasileiros mortos. De acordo com ele, a população local atacou a comunidade brasileira em Albina em represália à morte de um morador local supostamente por um brasileiro.

O Itamaraty, no entanto, ainda não confirmou oficialmente a informação do padre brasileiro. Segundo o governo brasileiro, ainda não é possível fazer o levantamento das vítimas do massacre que permaneceram no Suriname.

Sem mais artigos