O governador de Minas Gerais, Aécio Neves, afirmou na terça-feira (5) que não cogita a hipótese de ser vice de José Serra numa futura chapa puro-sangue. Ele ainda disse que a retirada de sua candidatura deixa clara a intenção do colega tucano em concorrer para presidente nas eleições de 2010.

“Acho que no momento em que eu me afasto dessa disputa, é claro que começa haver uma clareza maior em relação a quem será o candidato do partido. Não cabe a mim antecipar isso, cabe ao candidato. Mas eu acho que naturalmente essa minha saída facilita esse embate, facilita esse contraponto que nós vamos estabelecer em relação ao governo”, disse.

Aécio aproveitou para fazer suas críticas ao partido. Para ele, o PSDB precisa ter posições “mais claras em relação a diversos temas”. Um desses temas seria a ‘batalha’ contra Dilma Rousseff e a estratégia de Lula em transformar o próximo pleito em uma batalha comparativa entre o seu governo e o governo de Fernando Henrique Cardoso.

Para o governador de Minas, essa estratégia de Lula não passa de uma “comparação equivocada”. Ele explicou que o maior mérito do atual presidente foi dar continuidade à gestão de FHC em questões como a condução da política macroeconômica e o “aprofundamento” das políticas sociais.

O tucano finalizou seu discurso dizendo que a partir do momento em que o candidato à presidência for definido, ele se doará ao máximo para ajudar. “Eu serei, no momento em que o candidato [à Presidência] do PSDB for definido, um soldado à sua disposição, com absoluta lealdade, mas mergulhado nas questões de Minas”, garantiu.

Aécio Neves rejeita ser vice de Serra

Sem mais artigos