Onze corpos foram encontrados nos escombros da pousada Sankay, soterrada na Praia do Bananal, na Ilha Grande, região de Angra dos Reis (RJ).

 

No Morro da Carioca, região central de Angra dos Reis (RJ), quatro pessoas de uma mesma família também morreram.

 

Segundo o G1, a informação foi divulgada nesta sexta-feira (1º), através do subsecretário de Defesa Civil do estado do Rio de Janeiro, Pedro Machado.

 

Com isso, e com a morte de uma menina de 3 anos que havia sido resgatada na quinta-feira (31) em Cascadura, no subúrbio do Rio, subiu para 36 o número de mortes pela chuva que atinge o estado desde quarta (30).

 

Uma equipe formada por funcionários da Defesa Civil, bombeiros e integrantes da Capitania dos Portos está na Praia do Bananal.

Embarcações da Marinha dão apoio à operação.

 

O prefeito de Angra, Tuca Jordão, o vice-governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, e o secretário estadual de Saúde e Defesa Civil, Sérgio Côrtes, acompanham os trabalhos na Praia do Bananal.

 

A Defesa Civil da cidade mobilizou 80 homens para tentar atender a cerca de 150 chamados, entre deslizamentos e quedas de árvores.

 

No fim da tarde de quinta-feira (31), o município já havia entrado em estado de emergência, mas, na manhã desta sexta-feira (1º), a prefeitura ainda avaliava a exata extensão dos danos.

 

Os estragos provocados pela chuva fizeram Jordão decretar luto por três dias e cancelar toda a programação do final de ano, entre elas a tradicional procissão marítima que aconteceria nesta sexta.

 

A festa pelos 508 anos de Angra, que seria comemorada no próximo dia 6, também foi cancelada.

 

 

Ao menos 22 morrem em Angra dos Reis por causa da chuva

Sem mais artigos