A avaliação do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva sofreu a primeira queda desde o início do segundo mandato. Após sucessivos aumentos no índice de aprovação, que chegou ao patamar de 70% de pessoas que consideravam o governo ótimo ou bom em novembro do ano passado, o percentual caiu para 65% neste mês de março. Os números são da pesquisa do instituto Datafolha, publicada no jornal Folha de S. Paulo desta sexta-feira (20/03). A crise econômica é o principal fator que motivou a queda do índice.

A aprovação ao governo seguia uma trajetória ascendente: 48% em março de 2007, 50% em novembro, 55% em março de 2008, 64% em setembro e os 70% em novembro, patamar jamais alcançado por nenhum outro presidente brasileiro desde a redemocratização do país.

De 0 a 10, a nota média atribuída ao governo Lula também caiu de 7,6 em novembro para 7,4. Mas o índice ainda supera a nota 7,0 atribuída em setembro.

Entre os brasileiros de menor renda, a avaliação positiva caiu de 71% para 66%. Também houve queda na faixa superior de renda (de 63% para 58%).

Em termos regionais, o Nordeste continua sendo a principal área de apoio a Lula. Seu governo obteve 77% de aprovação, ou seja, quatro pontos a menos que no levantamento anterior. A região concentra 52% dos beneficiários do Bolsa Família e 40% dos atendidos pelo Luz para Todos. Em seguida aparecem as regiões Norte/Centro-Oeste, com 64% de aprovação (nove pontos a menos); o Sudeste, com 60% (seis pontos a menos); e o Sul, com 57% (dois pontos a menos que na pesquisa de novembro).

Segundo a Folha de S. Paulo, a pesquisa reflete o aprofundamento da crise econômica no Brasil. Em janeiro deste ano, a produção industrial caiu 17,2% em relação a igual mês de 2008. Já os gastos do governo federal com o seguro-desemprego subiram 25% no primeiro bimestre de 2009 em relação ao mesmo período do ano passado.

Sem mais artigos