O cartunista Glauco Villas Boas, de 53 anos, e seu filho Raoni, de 25, assassinados nesta sexta-feira (12), não foram vítimas de tentativa de assalto e nem de sequestro.

Segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo, os dois teriam sido mortos pelo estudante Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, conhecido como Cadu, de 24 anos, que seria frequentador da Igreja Céu de Maria, fundada por Glauco, inspirada nos cultos do Santo Daime.

O suposto autor do crime teria ido ao encontro de Glauco e Raoni, levando uma pistola. Houve uma discussão e o rapaz disse que iria se matar. Pai e filho tentaram convencer Cadu de desistir da ideia quando acabaram sendo mortos.

Segundo a polícia, o jovem vive no Alto de Pinheiros, na zona oeste da capital, e estaria afastado dos cultos há cerca de seis meses. Cadu foi preso na manhã desta sexta e aparentava estar drogado.

Nascido em Jandaia do Sul, interior do Paraná, Glauco era um dos principais cartunistas do país. Entre seus personagens mais conhecidos estão Dona Marta, Faquinha, o Casal Neuras, Geraldão e sua versão infantil, Geraldinho. Este último foi criado especialmente para o público infantil.

Assassino de Glauco é conhecido da família

Sem mais artigos