A Assembleia Legislativa de São Paulo aprovou na última quarta-feira (15) o projeto de lei que proíbe a venda de alimentos com gordura trans (considerada prejudicial à saúde) ou elevada taxa de sacarose em cantinas de escolas públicas e particulares. Com isso, coxinhas, balas e refrigerantes serão excluídos dos cardápios escolares. O projeto ainda depende da aprovação do governador José Serra (PSDB).

De autoria da deputada Patrícia Lima (PR), a iniciativa pretende alterar radicalmente o cardápio oferecido nas escolas. No lugar dos salgados fritos, entram opções como frutas, água de coco, queijos magros e iogurtes.

Para a deputada, o risco da obesidade, diabetes e hipertensão entre crianças e adolescentes justifica o projeto.

Apesar de elogiado, o projeto deve enfrentar resistência. “Na saída da escola, as barracas vão continuar vendendo pastel”, diz o presidente do Sieesp (Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino no Estado de São Paulo), Benjamin Ribeiro da Silva, segundo a Folha de S. Paulo.

Sem mais artigos