Em vigor desde 19 de junho de 2008, a Lei Seca não está complicando apenas a vida dos beberrões de plantão. A rígida medida também tem causado sérias preocupações a diversas mulheres, que menos privilegiadas, dizem que há meses não conseguem arranjar uma paquera nos bares e boates de São Paulo.

Contra a lei, essas mulheres se uniram e marcaram uma passeata para esta quarta-feira (1º), às 14h, que começa no Metrô Tatuapé e vai até a Pç. Silvio Romero. O evento foi todo planejado através do Orkut e estima-se que cerca de 20 mil mulheres compareçam à passeata.

“As feias também amam”, diz Betty Solano, organizadora da Associação das Mulheres Feias. Ela contou ao Virgula que tomou a iniciativa em setembro do ano passado, cerca de 3 meses após a nova lei entrar em vigor.

“Primeiro conversei com as minhas amigas, a gente estava bem para baixo naquela época. Então resolvemos procurar no Orkut outras pessoas que também pudessem estar se dando mal com a lei”, revela Beatriz.

“Em menos de um mês, já tinha cerca de 2 mil mulheres no movimento. Então achamos que teríamos bastante força para formar a associação e organizar um protesto”, diz. “Quem sabe assim a Justiça se comova com a nossa causa e reveja essa decisão tão injusta”, completa Beatriz.

Esta matéria é integrante das mentirinhas de 1º de abril publicadas no portal Virgula.

Associação das Mulheres Feias faz passeata contra a Lei Seca

Sem mais artigos