Ao menos 14 pessoas, entre elas sete crianças, morreram na noite do domingo (22/03) na queda de um pequeno avião que se preparava para aterrissar no aeroporto de Butte, em Montana, nos Estados Unidos. Anteriormente as autoridades haviam divulgado que o total de ocupantes era de 17. Não há informações sobre feridos.

Segundo a Administração Federal de Aviação (FAA, na sigla em inglês), o monomotor caiu no cemitério de Holy Cross, a cerca de 200 metros da pista de aterrissagem do aeroporto Bert Mooney. As informações sobre as causas do acidente ainda são desconhecidas. A aeronave, um Pilatus PC-12, fabricado em 2001, decolou de Oroville, na Califórnia, com destino ao município de Bozeman, mas por motivos ainda desconhecidos desviou sua rota e tentou aterrizar em Butte.

“Acreditamos que se tratava de uma excursão de crianças para esquiar”, disse Mike Fergus, porta-voz da FAA.

Autoridades avaliam que o fato de o piloto mudar a rota original rumo a um aeroporto mais próximo pode indicar que o avião estaria com algum problema que tornou necessário aterrissar o mais rápido possível.

Após apagar o incêndio, o local do acidente permaneceu interditado durante a noite, à espera dos analistas da Agência Federal de Transporte para investigar o acidente. Por não estar fazendo um voo comercial, o monomotor não dispunha de caixa-preta.

Relatos

Kenny Gulick, de 14 anos e vizinho do aeroporto, contou ao jornal “The Montana Standard” que “de repente o piloto perdeu controle e entrou em espiral. Ele não conseguiu se recuperar a tempo e se chocou contra as árvores do cemitério ao lado do aeroporto”.

Em declarações à rede de televisão “CNN”, outra testemunha, Martha Guidoni, indicou que ela e seu marido viram o avião caindo e correram para tentar ajudar os sobreviventes.

“Era demais tarde. Não dava para fazer nada”, declarou Martha, enquanto seu marido, Steve Guidoni, afirmou que, ao chegar ao local do acidente “havia fogo por toda parte”. “Não sobrou muito do avião, que estava parcialmente enterrado no solo”, detalhou.

Guidoni disse que olhou “para ver se havia alguém a quem pudesse tirar, mas não havia nada, não conseguia ver nada. Algumas malas espalhadas e fogo, isso é tudo. Alguns destroços do avião, também”.

Sem mais artigos