Subiu para sete o número de mortes confirmadas no acidente ocorrido na noite de segunda-feira (21) com o barco Almirante Barroso no Pará. O total de passageiros que estava à bordo ainda não foi confirmado, mas já se sabe que 94 pessoas estão entre os sobreviventes.


 


De acordo com o Corpo de Bombeiros Militar do estado, a embarcação, que realizava o transporte de passageiros, naufragou no Rio Amazonas, próximo a uma localidade conhecida como Farol do Peregrino, no trecho entre os municípios de Prainha e Monte Alegre, no oeste do território paraense. O barco partiu de Monte Dourado com destino a Santarém, que está a menos de 100 quilômetros do local do acidente.


 


Alguns sobreviventes já foram levados para receber atendimento médico em Monte Alegre. Eles relataram que o barco bateu em uma espécie de banco de areia e depois tombou. Segundo essas mesmas pessoas, não foi feita lista de passageiros. A embarcação não afundou totalmente, ficando parcialmente submersa.


 


O responsável pela delegacia fluvial de Santarém, comandante Evandro de Oliveira Souza, disse que cinco embarcações estão sendo utilizadas no local nos trabalhos de busca e resgate. O proprietário do barco naufragado, Adamor Ferreira Barroso, também disponibilizou uma lancha para auxiliar nas atividades. “Ele está no local do acidente acompanhando de perto todo trabalho de busca”, acrescentou o comandante Evandro Souza.


 


Uma aeronave do governo do estado, modelo Caravan, foi enviada  ao local para auxiliar nas buscas de desaparecidos. Além disso, um helicóptero do Corpo de Bombeiros equipado com suporte de atendimento pré-hospitalar também já se encontra no local para prestar suporte aos sobreviventes localizados. O tempo no local encontra-se nublado, mas segundo a Capitania dos Portos, não impede os trabalhos de busca. Um inquérito administrativo foi aberto pela capitania para apurar as causas do acidente.

Sem mais artigos