Sabe aqueles boletos das contas que você tem de pagar todos os meses? Eles estão com os dias contados. Isso porque as instituições bancárias devem oferecer em breve para seus clientes uma alternativa. É o Débito Direto Autorizado (DDA), que tem previsão de entrar em funcionamento em outubro. O novo sistema vai permitir que os clientes visualizem e paguem seus boletos sem a necessidade de uma cópia impressa.

O grande aspecto positivo desta medida é a economia. Os bancos vão deixar de gastar milhões de reais já que vão diminuir os custos com impressão e envio de cobranças. Para os clientes, o DDA será uma alternativa às atuais formas de pagamentos de contas de todos os tipos. As instituições devem começar a informar seus correntistas sobre o novo sistema já na próxima semana.

De acordo com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), cada instituição deve decidir a forma de implementar o DDA. “Cada banco definirá os canais que vai oferecer para o cliente ter acesso ao DDA, como internet, celular, caixa eletrônico”, disse Walter Tadeu de Faria, assessor técnico da Febraban, para a Folha de S. Paulo.

Pelas regras, o consumidor deverá se cadastrar em seu banco para poder utilizar o novo sistema. Além disso, quem for responsável pela emissão dos boletos (escolas, lojas, condomínios, etc) precisa se inscrever no DDA. Depois disso, o banco define a maneira como o cliente irá acessar seus boletos eletrônicos para quitar os débitos.

Vale ressaltar que a adesão ao novo sistema é opcional. Isso quer dizer que quem preferir continuar recebendo os boletos pelo correio, seguirá no sistema tradicional. “É apenas mais uma alternativa para pagar os boletos. Quem preferir continua como está”, afirma o assessor da Febraban. No entanto, em um primeiro momento, o novo sistema não estará disponível para tributos e serviços de concessionárias, como água, luz e telefone.

De acordo com estimativa da Febraban, a  cada ano, os bancos processam cerca de dois bilhões de boletos de cobrança. A expectativa é que esse montante caia pela metade em três anos.

Boleto bancário com os dias contados

Sem mais artigos