No início da manhã desta segunda-feira, o Corpo de Bombeiros retomou as buscas por vítimas do deslizamento de terra em decorrência das chuvas da primeira madrugada do ano, em Angra dos Reis (RJ). Até o momento, o número de mortos chega a 47. Do total, 29 vítimas foram localizadas na praia do Bananal, em Ilha Grande, e 17 no Morro da Carioca, parte continental do município.

Em entrevista à Jovem Pan, o vice-governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando de Souza “Pezão”, afirmou o quarto dia de buscas segue com tempo firme, o que facilita o trabalho na procura dos seis corpos que continuam desaparecidos.

De acordo com Pezão, há indícios de que na Ilha Grande, três corpos possam estar presos entre árvores e escombros no mar. Ele relatou que no Morro da Carioca, as dificuldades ficam por conta da dificuldade de transporte dos equipamentos devido as encostas.

Durante a madrugada, mais uma máquina retroescavadeira chegou ao local para auxiliar nas buscas, que contam ainda com cães farejadores. Agora, são quatro máquinas desse tipo trabalhando nas buscas em Ilha Grande.

Neste domingo, a Prefeitura de Angra dos Reis interditou 12 casas construídas na praia Vermelha, na Ilha Grande, devido a novos riscos de desabamento. Segundo a prefeitura, com as interdições na praia Vermelha, 70 moradores foram afetados. Do total, 54 foram para casas de parentes e amigos e dez estão abrigados na Escola Municipal Ayrton Senna.

Buscas em Angra entram no 4º dia; mortos chegam a 47

Sem mais artigos