A Câmara dos Deputados liberou aos parlamentares viagens internacionais pagas com dinheiro da cota a que os deputados têm direito. O acordo foi assinado pelo presidente da Casa, Michel Temer (PMDB-SP), que, no ato, também reuniu em uma única cota (o chamado “cotão”) todas as verbas a que parlamentares têm direito para exercício do mandato.

A flexibilização permitida a partir de agora, no entanto, impõe regras para viagens ao exterior. Para sair do país, o deputado precisará justificar a viagem e pedir autorização ao terceiro-secretário da Câmara dos Deputados. A presidência da República também deve ser notificada do motivo e do tempo da viagem.

As mudanças assinadas na quinta-feira (21) foram publicas no Diário da Câmara dos Deputados nesta sexta-feira (22).

Não seria diferente?

No dia 28 de abril, os líderes partidários da Câmara decidiram por unanimidade restringir uso dos bilhetes depois de uma série de escândalos gerados pela má utilização da cota de passagens pelos parlamentares. Na ocasião, havia sido acertado que a cota valeria apenas para viagens dentro do território nacional e viagens internacionais só poderiam ser feitas em missões oficiais.

Sem mais artigos