A região central da Itália, fortemente prejudicada pelo terremoto do dia 6 de abril, registrou cerca de dez tremores de magnitude superior a 2 graus na escala Richter desde a meia-noite passada. O último deles, o de maior intensidade, chegou a 3,2 graus.

A terra continua tremendo com uma força considerável desde a semana passada na região de Abruzzo, onde, antes da meia-noite, foi registrado outro terremoto de 4,9 graus na escala Richter que voltou a espalhar pânico entre os 33 mil desabrigados que dormem em acampamentos.

O último abalo de mais força, confirmado nesta terça-feira (14/04) pela Defesa Civil italiana, foi sentido hoje às 11h08 (6h08 de Brasília) em Abruzzo, com epicentro próximo às localidades de Rocca di Cambio, Villa Sant’Angelo e San Panfilo D’Ocre.

A profundidade dos abalos varia de 2 a 10,1 quilômetros, e o de maior magnitude destes nove aconteceu às 9h36 (4h36 de Brasília), com epicentro no distrito sismológico do Gran Sasso.

Na segunda-feira (13/04), ocorreram 11 terremotos de considerável magnitude, o maior com 4,9 graus na escala Richter, que ocorreu às 18h14 de Brasília e que também pôde ser sentido em Roma.

Sem mais artigos