Foi aprovado nesta sexta-feira (13) pela Assembléia Nacional Popular da China um pacote de estímulo à economia do país apresentado pelo primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao. O total do plano chega a US$ 584,5 bilhões. O pacote teve 2.669 votos a favor, 145 contra e 71 abstenções
 
Planejado para durar dois anos, o plano foi apresentado por Jibao na última semana. A projeção inicial do primeiro-ministro é que a China cresça 8% em 2009. Agora, o político diz que será um pouco difícil atingir a meta estipulada. Alguns investidores acreditavam que o pacote poderia ser aumentado por Jibao, podendo chegar a US$ 1,46 trilhão. No entanto, ele não fez menção a essa possibilidade.

A principal intenção do projeto do governo chinês é manter uma taxa de crescimento da economia do país. Para isso, seria necessário expandir o emprego dos habitantes das cidades e do campo, o que leva a elevação da renda da população e à estabilidade social.

A China acredita que pode crescer 8,3% em 2009, mas o Fundo Monetário Internacional (FMI) aposta em expansão da economia em até 6,7%. Já previsão do Banco Mundial é de crescimento de 7,5% para o Produto Interno Bruto (PIB) chinês.

As expectativas dos analistas estão divididas. Alguns acreditam que a China consegue se recuperar já no segundo trimestre do ano, enquanto outros acham pouco provável uma expansão enquanto a crise estiver presente nos Estados Unidos e Europa, principais compradores de seus produtos. 

Sem mais artigos