Normal
0
21

false
false
false

MicrosoftInternetExplorer4


/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:10.0pt;
font-family:”Times New Roman”;
mso-ansi-language:#0400;
mso-fareast-language:#0400;
mso-bidi-language:#0400;}

Com o final do Campeonato Brasileiro, que este ano teve o Flamengo como campeão após jejum de 17 anos, os melhores jogadores, os gols mais bonitos, as decepções e revelações são listadas por especialistas do esporte e torcedores.

Destaque do Flamengo e um dos concorrentes a melhor jogador da competição, o meia sérvio Petkovic e seu excelente desempenho fez com que a equipe do VirgulaEsporte listasse a seleção de estrangeiros do Campeonato Brasileiro:

Viáfara (Vitória); Figueroa (Palmeiras), Sorondo (Internacional), Benítez (Atlético-MG) e Armero (Palmeiras); Guiñazu (Internacional); Conca (Fluminense), Petkovic (Flamengo) e D’Alessandro (Internacional); Defederico (Corinthians) e Maxi López (Grêmio). Em qual posição ficaria no Campeonato Brasileiro o time com essa escalação? No mínino, conquistaria uma vaguinha no G-4.

A seleção de gringos do Campeonato Brasileiro deste ano começa com o goleiro colombiano Júlian Viáfara, mais estável do que seus concorrentes uruguaios: Carini, do Atlético Mineiro, e Castillo, do Botafogo. Na lateral-direita o escolhido é o chileno Luis Pedro Figueroa, que veio do Colo-Colo e conquistou seu espaço no Palmeiras. O ala demorou para estrear, mas ganhou a posição de Wendell graças aos bons cruzamentos e por não comprometer na parte defensiva. No lado esquerdo, a aposta também é em um palmeirense. O colombiano Pablo Armero merece o posto por conta da velocidade e vigor.

O setor defensido é o mais fraco do time de estrangeiros do Brasileiro. A dupla composta pelo uruguaio Gonzalo Sorondo e o paraguaio Pedro Benítez foi escolhida basicamente por falta de melhor opção. O jeito é torcer para que os dois não sejam muito exigidos.

Com esse objetivo, Pablo Guiñazu fica com o posto de volante. Forte na marcação, o argentino ainda é bom na saída para o ataque. Mas quem tem a incumbência de armar as jogadas e tentar fazer gols é a trinca formada pelos argentinos Darío Conca e Andrés D’Alessandro; e o sérvio Dejan Petkovic, maior responsável pela arrancada do Flamengo na tabela.

No ataque, outros dois argentinos completam a equipe. O canhoto Matías Defederico não precisou de muito tempo para mostrar aos corinthianos sua habilidade. O centrovante Maxi López, por sua vez, conquistou a exigente torcida gremista com gols: alguns frutos de sua categoria e outros surgidos após trombadas com os zagueiros.

Sem mais artigos