Engana-se quem acha que Pinóquio, Gato de Botas e Capitão Gancho são apenas personagens folclóricos de histórias infantis. O mesmo acontece com os sucessos hollywoodianos Titanic, Top Gun e Senhor dos Anéis. Nessa onda, até Cevada e Catuaba deixaram de ser ingredientes de bebidas alcoólicas. Mas qual a lógica disso tudo?

A Polícia Federal explica. Pinóquio foi o nome dado à operação realizada para desbaratar uma organização criminosa que explorava ilegalmente uma reserva florestal em Ribeirão Preto, interior de São Paulo. Já o personagem Gato de Botas está ligado ao grupo de policiais rodoviários que praticavam crimes no Mato Grosso do Sul. Por sua, a Operação Capitão Gancho fechou diversas rádios clandestinas em Belo Horizonte.

Como parte da tradição, a Polícia Federal utiliza nomes e expressões curiosas para identificar suas operações. Nessa brincadeira séria, os delegados escolhem denominações peculiares que façam alguma referência ao caso estudado.

Sem um critério específico, a inspiração pode vir através de filmes, seriados, comidas ou bebidas. Há também quem use expressões populares, históricas, científicas ou religiosas para batizar a investigação. Até personagens da mitologia grega não escapam da criatividade dos agentes.

A própria Operação Titanic não tem a ver com o navio. Muito menos com o filme. mas foi o nome encontrado para batizar as ações de desarticulação de uma quadrilha que importava veículos de luxo subfaturados através do porto de Vila Velha, no Espírito Santo.

Com tantas denominações, o Virgula fez uma seleção das operações mais curiosas da PF. Confira:

TV e Cinema

Big Brother (2005): Revelou o esquema de adulteração de documentos para obter títulos milionários da dívida pública da Petrobrás e Eletrobrás;

TV Pirata (2007): Deflagrou três centrais clandestinas de distribuição de imagem de TV via cabo numa comunidade da região de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro;

Senhor dos Anéis (2007): Investigou uma quadrilha de falsificadores de anilhas para pássaros da fauna brasileira;

Negócio da China (2008): Contra executivos de uma grande rede de lojas de eletrodomésticos do Rio de Janeiro que comercializava produtos contrabandeados;

Carga Pesada (2009): Deflagrou um esquema de tráfico internacional de entorpecentes no Aeroporto Internacional de Guarulhos;

Top Gun (2009): Desarticulou uma organização que distribuía cocaína no Rio Grande do Sul e atuava no roubo e furto de veículos, estabelecimentos comerciais e bancos.

Tecnologia

Ponto Com (2005): Desarticulou uma organização especializada em crimes pela internet;

Control+Alt+Del (2006): Prendeu uma quadrilha envolvida com o roubo de senhas bancárias através da Internet;

Pen Drive (2007): Investigou um esquema internacional envolvendo clonagem de cartões bancários e de crédito no Brasil para saques no exterior;

Game Over: Foram diversas operações batizadas de Game Over. Em geral, investigaram fraudes ligadas à casas de bingos e máquinas caça-níquel;

Comidas e Bebidas

Catuaba (2004): Desmantelou uma quadrilha que, entre outras coisas, falsificava selos de IPI de bebidas;

Cevada (2005): Investigou um esquema criminoso que beneficiava empresas ligadas ao grupo Schincariol;

Tarantela (2006): Prendeu integrantes de uma organização criminosa especializada no tráfico internacional de seres humanos com o fim de exploração sexual;

Caloria (2006): Prendeu dez pessoas que faziam parte de um grupo de profissionais da área de saúde que produziam e distribuíam ilegalmente medicamentos para emagrecer;

Bala Doce (2006): Desarticulou uma quadrilha de tráfico internacional de entorpecentes que atuava em festas rave;

Fast Food (2008): Desarticulou uma rede de tráfico de drogas que atuava na rota Norte-Nordeste do país;

Música

Tango (2005): Deflagrou uma quadrilha envolvida com crimes financeiros e lavagem de dinheiro;

Castanhola (2005): Desarticulou uma quadrilha que atuava no tráfico internacional de mulheres para Espanha e Portugal;

Discoteca (2006): Operação de combate à falsificação e comercialização de CDs e DVDs piratas;

Play Back (2008): Reprimiu a comercialização de músicas com violação dos direitos autorais de artistas nacionais e estrangeiros;

Nas Ondas do Rádio (2008): Investigou o funcionamento de rádios clandestinas;

Outras

Bye Bye Brasil (2005): Desmontou uma organização criminosa especializada em introduzir brasileiros de forma ilegal no exterior, principalmente nos EUA;

Geralda Toco Preto (2006): Combateu a exploração ilegal de madeira na reserva indígena Geralda Toco Preto, no Maranhão;

14 bis (2006): Identificou um grupo que atuava na Alfândega do Aeroporto de Viracopos, em Campinas, na liberação ilegal de mercadorias importadas;

Big Apple (2007): Desarticular um esquema de contrabando de agrotóxico no Rio Grande do Sul;

Freud (2007): Investigou uma quadrilha que fraudava a Previdência Social em Minas Gerais;

AVC (2007): Prendeu sete integrantes de um grupo de assaltantes de bancos no Nordeste;

Minuano (2008): Deflagrou uma quadrilha de tráfico de drogas estabelecida em cidades no interior do Rio Grande do Sul

Control+Alt+Del, Big Apple, Freud. Veja os nomes mais criativos das operações da Polícia Federal

Sem mais artigos