Na noite de sexta feira 13, foram iniciadas as comemorações pelos 10 anos da banda Cordel do Fogo Encantado em SP. Os ingressos para as três apresentações no Teatro do Sesc Pompéia, com capacidade para 800 pessoas, esgotaram rapidamente. 

E pouco depois das 21h a banda original formada por José Paes de Lira, o Lirinha (voz e pandeiro), Clayton Barros (violão), Emerson Calado (percussão), Nego Henrique (percussão), Rafa Almeida (percussão), acompanhada por Rafael Duarte (baixo) e Deco do Trombone fez a felicidade dos fãs que levantaram das cadeiras e ocuparam todos os espaços ao redor do palco. Histéricos, cantavam-gritavam durante uma hora e meia de show com os sucessos antigos ou, em alguns momentos pontuais, pareciam hipnotizados pelas novas músicas apresentadas naquele momento. 

E o Cordel mostrou porque é conhecido e aclamado por suas apresentações ao vivo. A primeira música foi Tempestade, do segundo CD  O Palhaço do Circo Sem Futuro, e a partir daí, uma mistura de grandes sucessos que todos os três discos lançados pelo grupo (Cordel do Fogo Encantado – 2001, O Palhaço do Circo Sem Futuro – 2002 e Tranfiguração – 2006) fizeram um apanhado desse tempo de carreira.

A força dos três percussionistas que dão o tom de todas as canções continuam em perfeita harmonia com a guitarra de Clayton e os berros, danças, performances (incluindo um momento com fogo) e carisma de Lirinha que não parou quieto em nenhum segundo.

E a presença dos dois músicos que participaram da gravação do novo CD da banda trouxe um tempero a mais às canções – mesmo aquelas já conhecidas e gravadas sem trombone, por exemplo.

Algumas músicas provacaram momentos emocionantes como Pedrinha, Poeira, Os Oim do Meu Amor, Na Veia e Chover, onde o próprio Lirinha afirmava que estava dificil cantar. O cover de Cio da Terra, de Milton Nascimento e Chico Buarque, interpretado de uma maneira dura e ao mesmo tempo passional só completou o set list.

Em alguns momentos o vocalista interagia com o público que pedia atenção, músicas, fazia declarações de amor, e ele contava histórias e
respondia ao carinho sempre se aproximando e explorando todos os espaços do palco que era uma ilha rodeada de pessoas por todos os lados.

Após o ecerramento fake e um bis com três canções, os músicos deixaram o palco sob o côro da poesia Ai se Sesse, de Zé da Luz, gravada no primeiro disco.

Após o show, Lirinha comentou: “nesse espaço menor a apresentação se torna muito mais emotiva do que técnica, tanto que as vezes a voz falhava, a letra não saía”, e completou, “esse show é um festejo, uma celebração com quem construiu o Cordel do Fogo Encantado: o público”.

A banda continuará com algumas apresentações pelo Brasil comemorando os 10 anos, mas a partir de inicio de 2010 já partirá para apresentações de lançamento do novo CD, que deve ser lançado primeiro virtualmente.

Quem conseguiu comprar o ingresso antecipadamente, poderá conferir as apresentações de hoje (14/11 às 21h) e amanhã (15/11 às 18h) no Sesc Pompéia.

Cordel do Fogo Encantado comemora os 10 anos com bela apresentação

Sem mais artigos