Pelo menos 1 milhão de tailandeses perderão seus trabalhos neste ano devido à crise econômica, na maior onda de desemprego em mais de uma década, admitiu hoje o primeiro-ministro, Abhisit Vejjajiva.

Na década de 1990, a crise financeira asiática deixou 1,4 milhões de tailandeses desempregados e o país demorou quase cinco anos para se recuperar da saída dos investimentos estrangeiros.

Vejjajiva anunciou que o Governo prepara um novo plano de formação profissional especializada e desenvolvimento de infraestrutura com o objetivo de dar trabalho aos primeiros demitidos.

No início de janeiro, o Parlamento tailandês deu seu sinal verde para o Governo injetar 116,7 bilhões de bats (R$ 7,558 bilhões) para reativar a economia, baseada em exportações e turismo.

O banco central do país estima que o Produto Interno Bruto crescerá no máximo 2% este ano, devido à queda na demanda dos produtos tailandeses, que pode perder mais de 25% em relação a 2008.

A economia também foi prejudicada no final do ano passado pela crise política que opôs partidários e detratores do deposto ex-primeiro-ministro Thaksin Shinawatra, com a invasão do palácio governamental e o fechamento dos aeroportos de Bangcoc até que Vejjajiva assumiu o poder.

Sem mais artigos