O secretário de Segurança Pública de São Paulo, Ronaldo Marzagão, pediu demissão de seu cargo na noite terça-feira (17/03). A exoneração foi confirmada na edição desta quarta-feira (18/03) do Diário Oficial do Estado. O secretário teria alegado “motivos estritamente pessoais”, segundo a assessoria do governador José Serra (PSDB).

Recentemente, Marzagão foi citado em denúncias envolvendo um suposto esquema de propina dentro da Secretaria. Uma gravação feita pelo homem que denunciou o caso (um investigador que recebeu o benefício da delação premiada pelo Ministério Público de Guarulhos, na Grande São Paulo) mostra a negociação do valor de um cargo no Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran-SP).

O advogado que participa da conversa com o investigador é ex-sócio e responsável pela manutenção do escritório de advocacia do ex-secretário adjunto de Estado da Segurança Pública, Lauro Malheiros Neto, no cargo à época. Malheiros deixou o cargo no ano passado, quando vieram a público as ligações dele com o investigador. Quando questionado, Marzagão disse que não tinha conhecimento sobre o esquema.

Substituto

Para ocupar o lugar de Marzagão, o governador José Serra (PSDB) anunciou o nome de Antonio Ferreira Pinto, atual secretário da Administração Penitenciária. Guilherme Bueno de Camargo, secretário adjunto de Marzagão, havia sido designado para assumir o cargo interinamente.

Com a nomeação de Ferreira
Pinto, o adjunto, Lourival Gomes, passa a comandar a Secretaria da
Administração Penitenciária.

Sem mais artigos