Quem nunca pagou um mico para agradar a mãe, não apenas no Dia das Mães? Ir na casa daquela tia chata que vive perguntando se você está namorando, carregar sacolas pesadas na feira, usar uma blusa de lã meio feia só porque foi ela que tricotou… 

O vocalista do Gloria, Mi Vieira, passou por uma dessas situações – se bem que, segundo ele, foi até bem divertido – a convite do Virgula. Em março, o músico levou sua mãe, Maria Helena, a uma apresentação de Julio Iglesias, um dos maiores ídolos de mães e vovós do Brasil, em São Paulo. Os dois ainda tentaram, sem sucesso, conhecê-lo após o show.

Nos próximos parágrafos, Mi e Maria Helena contam suas impressões a respeito de Julio Iglesias e do show, além de narrar a tentativa frustrada de encontrar com o cantor espanhol.

Virgula – Vocês são fãs do Julio?
Mi – Conheci o Julio Iglesias por causa da minha mãe. Ela sempre pirou no tiozão (risos)! Sempre gostei de musicas românticas em geral, mas nunca fui tão fã dele. Lembro que, quando eu era pequeno, minha mãe ouvia muito Crazy. Sempre reconheci que é uma música muito bonita! Não tem o que falar do cara. Mais de 40 anos de estrada. Isso é escola que poucos conseguem alcançar!
Maria Helena – Falar o quê sobre o Julio, que é uma das pessoas mais românticas que conheço? Viajo ouvindo a música dele. Volto ao passado e me sinto também a última das românticas. Só senti não ter levado ao show o meu marido, que é o meu Julio.

Virgula – Vocês acham que Julio Iglesias está mais para um coroa cool ou para cafona? Será que um fã do Gloria pode também curtir o Julio ou a música dele tem mais a ver com outra geração?
Mi – Julio Iglesias já é um mito. O cara é muito conhecido, outro nivel de popularidade! Não é nem cool nem cafona, é clássico! Com certeza, todo mundo já ouviu as músicas dele em alguma rádio ou em uma novela! A musica do Julio faz parte de outra geração… Acho que nem é ideia dele fazer um monte de adolescentes curtirem o seu som… Mas vai saber: existe louco pra tudo! (risos)
Maria Helena – Faço minhas as palavras do Mi. Mas acho que tem muito jovem por aí que sonha ouvindo a música do Julio Iglesias!

Virgula – E como foi o chá de cadeira no camarim?
Mi – Tava na febre pra ver esse cara de perto (risos). Chegamos no camarim e a assessora do Julio veio conversar com a gente. Ela ficou meio com medo, pois eu era o único de 6 mil pessoas que estava de cabelo desarrumado e alargador, vestido de preto e tatuado… Foi simpática, mas com certeza se assustou (risos)!
Ela saiu e, após um tempo, retornou e disse: “O Julio está bem cansado e não quer ver mais ninguém”. Eu e minha mãe respeitamos
total o momento do cara, pois ele já é de idade e sei muito bem quanto é cansativo esse negócio de turnê. Mas parabéns para o Julio, pegador master até hoje (risos)!
Maria Helena – Foi um dos melhores chás de cadeira que já tomei na vida (risos)! Não concordo com o Mi quando ele disse que o Julio já é de idade. Ele havia cantado por quase duas horas e meia. E imagino que, no palco, estava um calor intenso por causa das luzes.

Também não concordo com esse negócio de ir ao camarim do artista depois de um show… Deve ser legal para o artista, mas muito cansativo. Mas que ele perdeu a chance de conhecer o Mi e a mãe dele, isso ele perdeu! Mesmo assim, amei o show e nem achei ruim não ter visto o Julio pessoalmente. Valeu!

Sem mais artigos