Normal
0
21

false
false
false

MicrosoftInternetExplorer4


/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:10.0pt;
font-family:”Times New Roman”;
mso-ansi-language:#0400;
mso-fareast-language:#0400;
mso-bidi-language:#0400;}

O futebol é o esporte mais praticado no mundo, contudo,
alguns termos e expressões usados no planeta bola nem sempre estão na boca do
povão. Prova disso são os dribles. É “drible da vaca” pra lá, “chapéu” pra cá
e, muita gente, não entende absolutamente porcaria nenhuma. Como as
possibilidades de abolirem os nomes destes lances são remotas – já que eles são
consagrados -, o VirgulaEsporte vai ter dar uma ajudinha e desvendar esta parte
do dicionário do ‘futebolês’.

 

Confira:

 

Drible da vaca

– Quando o jogador lança a bola por um lado do adversário e
a recupera pelo outro.

 

Não há explicação
exata para o nome do drible, contudo, uma das teorias encontradas faz
referência aos primórdios do futebol: quando ele era jogado em fazendas, com
bexigas de bois cheias de areia ao invés de bolas, certamente, havia muitos
obstáculos (vacas) a serem driblados nos pastos.

 

Chapéu

– O jogador projeta a bola por cima de seu oponente e a
retoma sem que ela caia no chão.

 

A origem do nome deste
drible está, obviamente, ligada ao movimento que a bola faz durante o lance: por
cima da cabeça do adversário, como se estivesse ‘colocando’ um chapéu.

 

 Chaleira

 

-A chaleira, na verdade, é um modo de aplicar algum drible;
seja o ‘da vaca’, ou até mesmo para finalizar um lance.  É quando o jogador trança as pernas e acerta a
bola de pé trocado. Muitos usam este recurso para escapar de áreas sem muito
espaço no campo, quando estão acuados por um adversário, por isso é
caracterizado como drible.

 

Como existe variação
de nomes para o drible, como por exemplo, ‘letra’, não foi encontrada uma
explicação bacana para mostrar a origem da ‘chaleira’. Até porque o drible não
parece nem um pouco com aquelas tradicionais chaleiras da sua mãe…

 

Caneta (rolinho)

 

-A tradicional caneta ocorre quando o jogador consegue
passar a bola por entre as pernas de um adversário, recuperando-a logo depois.

 

Existem muitos nomes
de variação (rolinho, cana, saia, saiota) e, sendo assim, fica difícil explicar
o porquê de cada denominação. Mas, ‘caneta’, com a bola atravessando por entre
pernas, fica fácil entender o motivo.

 

 

Elástico

 

– praticado pelos mais habilidosos com a bola nos pés, o
drible inventado por Rivelino consiste em movimentar a bola (de leve) para um
lado, e, com rapidez, puxá-la para o outro, entortando o adversário.

 

Assim como um elástico
de escritório disparado entre os dedos, o drible é muito rápido. Daí o nome
‘tão’ original!

 

Pedalada

 

– Robinho mandou avisa: pedalada é quando a bola está
parada, ou se movimentando lentamente, e o jogador usa a ginga de pernas (como
se estivesse pedalando uma bicicleta, por isso, o nome
) para ludibriar o oponente, que fica sem
saber qual será o lance seguinte.

Foquinha

– Inventado pelo ex-cruzeirense Kerlon, o lance é simples (de explicar, não de fazer): basta o jogador ganhar na corrida de um adversário, porém, fazendo embaixadas com a bola. Detalhe: com a cabeça .

Como uma foca.

 

Dicionário 'futebolês': desvendando o nome dos dribles

Sem mais artigos