Pesquisa divulgada nesta terça-feira (18) pelo Ministério da Saúde revela que 10,3 milhões de brasileiros já tiveram algum sinal ou sintoma de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) – 6,6 milhões de homens e 3,7 milhões de mulheres.

Outro dado da Pesquisa de Conhecimentos, Atitudes e Práticas da População Brasileira de 15 a 64 anos, indica que 18% dos homens e 11,4% das mulheres não procuram nenhum tipo de tratamento. De acordo com o ministério, os problemas causados pelas DST  podem aumentar em 18 vezes o risco de infecção pelo vírus HIV.

Nesse sentido, os homens têm 31,2% mais riscos de apresentar algum sinal ou sintoma de doenças sexualmente transmissíveis (DST) do que as mulheres.

Segundo o estudo, manter relações sexuais com parceiros do mesmo sexo mais do que dobra a probabilidade de uma pessoa apresentar sinais de DST. Indivíduos que tiveram mais de dez parceiros na vida têm 65% mais possibilidade de contrair alguma doença sexualmente transmissível.

Brancos x Negros

O total de homens negros que relataram sinais ou sintomas de doenças sexualmente transmissíveis (DST) é de 19% enquanto o índice para homens brancos é de 13,8%.

Desinformação

Apenas 30% dos homens e 31,7% das mulheres que procuraram atendimento foram orientados a fazer o teste de HIV. A recomendação para o exame de sífilis foi ainda menor: 24,3% para eles e 22,5% para elas.

Outro dado da pesquisa revela que 40% dos homens e mulheres que recorreram aos consultórios não foram informados sobre a necessidade do uso de preservativo e de comunicar a doença aos parceiros.

DSTs atingem mais de 10 milhões de brasileiros, diz Ministério da Saúde

Sem mais artigos