A economia dos Estados Unidos contraiu a uma taxa anualizada de 0,7% entre abril e junho, 0,3% a menos que o previsto pelo Governo.

O dado indica que a “grande recessão”, a maior desde a Grande Depressão dos anos 30, registrou um alívio mais cedo do que o esperado e o segundo trimestre pode ter preparado o cenário para uma recuperação nos EUA na segunda metade de 2009.

O Departamento de Comércio, que divulgou nesta quarta-feira (30) seu cálculo definitivo do Produto Interno Bruto (PIB) para o segundo trimestre de 2009, surpreendeu os analistas que tinham calculado uma contração de 1% a 1,2%.

A correção de números foi devido, principalmente, a diminuições menores no investimento das empresas e nas exportações, e um aumento da despesa do Governo.

No primeiro trimestre, a economia dos EUA contraiu a uma taxa anualizada de 6,4% e, em seus cálculos preliminares para o segundo trimestre, o Governo tinha indicado uma taxa de contração de 1%.

A despesa dos consumidores, que nos EUA representa quase 70% da atividade econômica, caiu 0,9% no segundo trimestre, um décimo a menos que o calculado inicialmente pelo Governo.

O índice de preços vinculado ao PIB, uma das medidas de inflação nos Estados Unidos, se manteve sem mudanças no trimestre, como o Governo tinha calculado inicialmente.

Sem mais artigos