O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, declarou neste sábado (18) que, além de “muito o que aprender”, tem “muita vontade de ouvir” os líderes da União de Nações Sul-americanas (Unasul), realizada em Trinidad e Tobago.

Num encontro cordial antes de uma das sessões da Cúpula das Américas, o presidente americano voltou a apertar mão do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, a quem cumprimentou com um amistoso “Como estás?”.

Sobre a sua aproximação com os países da América Latina, o presidente americano também que “não há parceiro sênior e parceiro júnior; há engajamento baseado em respeito mútuo, interesses comuns e valores compartilhados”.

Chávez, que estava sentado numa das extremidades da mesa da reunião – cujo assento central era ocupado por Obama -, levantou-se para entregar ao colega americano o livro “As Veias Abertas da América Latina”, do uruguaio Eduardo Galeano.

Na reunião, o presidente americano disse que sua intenção na Cúpula das Américas era discutir assuntos como a energia, a segurança e a economia.

Terminada a reunião com os líderes da Unasul, integrada por Brasil, Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela, teve início a primeira das três sessões plenárias programadas para hoje na Cúpula das Américas.

Paralelamente a estas sessões, Obama tentará se reunir com o primeiro-ministro canadense, Stephen Harper, e com os presidentes do Haiti, René Préval; Peru, Alan García; Colômbia, Álvaro Uribe, e Chile, Michelle Bachelet.

Sem mais artigos