Os dois pacientes de São Paulo infectados pelo vírus da gripe suína já deixaram o hospital Emílio Ribas, na região da Avenida Paulista, onde foram atendidos. As informações são da Secretaria de Saúde do estado de São Paulo.

O primeiro caso é de um homem de 24 anos que esteve na Cidade do México entre os dias 17 e 22 de abril. O início dos sintomas surgiram dois dias após sua chegada. O paciente ficou internado no Instituto de Infectologia Emílio Ribas por sete dias como suspeito (de 29 de abril a 4 de maio), sob supervisão e monitoramento, tendo evoluído para a cura.

Em todos os casos suspeitos foram administrados tratamento com medicamentos antivirais como se de fato o paciente estivesse infectado com a doença.

O segundo caso registrado em SP é também de um homem, de 48 anos, que esteve em Miami e Orlando, na Flórida, entre os dias 19 e 28 de abril. Ele apresentou os primeiros sintomas em 29 de abril, tendo sido atendido também no hospital Emílio Ribas. No entanto, como a Organização Mundial da Saúde (OMS) não considerava a região como área de risco, ele não foi internado; apenas mantido em isolamento domiciliar. O paciente evoluiu para a cura.

Existem outros oito pacientes sob suspeita no estado de São Paulo. Os resultados dos exames devem ser conhecidos em alguns dias. A secretaria não quis precisar a data. Há sete pessoas em monitoramento, em isolamento domiciliar.

A Secretaria da Saúde disponibilizou 150 leitos para isolamento, 60 deles com pressão negativa (como recomendado pela OMS), distribuídos no Hospital das Clínicas de São Paulo, Ribeirão Preto e Campinas e no Instituto Emílio Ribas.

Foram estabelecidas oito unidades que irão funcionar como referência para o atendimento de possíveis casos suspeitos da gripe suína no estado. Esses locais ficarão de prontidão para identificar qualquer caso e colher materiais para exames

Das oito unidades, três ficam na capital: Hospital das Clínicas de São Paulo, Instituto Emílio Ribas e Hospital São Paulo. No litoral, a unidade de referência é o Hospital Estadual Guilherme Álvaro, em Santos. No interior, o Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto; Hospital das Clínicas de Campinas; Hospital Estadual de Bauru e Hospital de Base de São José do Rio Preto.

Os exames virológicos estão sendo realizados no Instituto Adolfo Lutz, uma das três referências nacionais para a identificação da influenza, que atende às normas de biossegurança necessária para a manipulação de vírus.

Sem mais artigos