O piloto Felipe Massa, vice-campeão da Fórmula 1 ano passado pela Ferrari, é o principal nome do trio de brasileiros na temporada 2009, que também terá Rubens Barrichello, na Brawn GP, e Nelsinho Piquet, na Renault. O brasileiro da Ferrari parece ser o piloto com mais chances de quebrar o longo jejum de títulos do país na F-1 – desde 1991, com Ayrton Senna, o país não tem um campeão mundial.



 


Massa, que ficou a um ponto do título, perdido na última curva do GP do Brasil, chega como um dos favoritos ao título, ao lado do atual campeão, o inglês Lewis Hamilton, da McLaren. Mas poderá ter mais um. Rubinho, que parecia fora de combate – e também do campeonato, quando a Honda anunciou que deixaria a categoria -, não apenas está de volta como cheio de esperança a bordo da nova Brawn GP, que fará sua estreia no GP da Austrália, que será transmitido pela Globo, a partir das 2h45 da madrugada de domingo (dia 29).



 


Mas a julgar pelos resultados nos testes de inverno, Massa tem ligeira vantagem até sobre Hamilton, já que conseguiu andar sempre entre os primeiros. Já a McLaren teve diversos problemas e parece não ter se adaptado às mudanças do regulamento. “Até agora é difícil você ter uma idéia clara porque a primeira corrida é o que conta, mas a gente nunca viu uma McLaren tão atrás, com tantas dificuldades como neste ano. Muitos falam que os treinos não são tão importantes quanto um fim de semana de corrida, e é verdade, mas você estando sempre atrás mostra que você não está bem”, ponderou Massa.



 


Após superar a perda do Mundial de 2008, Massa se diz até mais forte mentalmente este ano. “Acho que na parte mental foi uma grande lição de vida para mim, uma grande lição de aprendizado pessoal que vai, com certeza, me deixar mais forte para lutar por qualquer campeonato, corrida ou vitória. Acho que isso me deixou ainda mais pronto para lutar e me deixou ainda mais forte”, afirmou.



 


Surpresas do Campeonato?



 


Se a Honda foi mal nos últimos anos, a Brawn GP teve um ótimo desempenho nos poucos testes de inverno que participou. Rubinho e Jeson Button andaram sempre entre os primeiros e foram apontados como possíveis surpresas do campeonato.



 


Já Nelsinho é o terceiro representante do país na categoria mais importante do automobilismo mundial. O piloto ganhou uma nova chance da Renault, apesar de seu ano de estreia ter sido marcado por diversos abandonos. Com uma temporada de experiência, o filho do tricampeão Nelson Piquet espera se firmar e conseguir o mesmo sucesso que obteve nas categorias de acesso, como a Fórmula 3 Sul-Americana e a GP2.


 



A adaptação da Renault às novas regras e os bons resultados nos testes de inverno dão a Nelsinho a esperança de uma temporada consistente. “Sinto muita confiança para este ano e estou ansioso para voltar a Melbourne (palco do GP da Austrália). Aprendi muito em 2008 e agora, com um ano de experiência, as coisas serão mais fáceis”, disse ao site da F-1.


 



Leia também:



Ross Brawn mostra irritação com acusações da Ferrari



Sem mais artigos